Um dia após receber reivindicação do Deputado Federal Alan Rick, Presidente da Frente Parlamentar em Defesa da Vida e da Família, na Câmara dos Deputados, para que o Ministério da Educação retirasse das escolas públicas de todo Brasil livros com conteúdo inapropriado para crianças do Ensino Fundamental, o ministro Mendonça Filho determinou o recolhimento dos 93 mil exemplares do livro “Enquanto o sono não vem”, distribuídos pelo Programa de Alfabetização na Idade Certa (Pnaic) para alunos de primeiro, segundo e terceiro anos do ensino fundamental das escolas públicas – 6 a 8 anos.

“Esta é uma decisão de extrema importância e mostra o bom resultado do nosso trabalho parlamentar em defesa da vida e da família. Mas não se trata de uma vitória das Frentes Parlamentares. É muito mais que isso. É uma grande vitória das famílias brasileiras. O povo brasileiro ficou indignado com a descoberta de novos livros didáticos com conteúdo absolutamente ofensivo à fragilidade moral e psíquica das nossas crianças. Em boa hora, o ministro Mendonça Filho intervém nessa questão e determina a retirada desses livros que afrontam a família brasileira”, disse o deputado acreano.

O livro foi selecionado no processo PNLD/PNAIC em 2014, na gestão Dilma Rousseff. A decisão é respaldada, também, em parecer técnico da Secretaria de Educação Básica (SEB), que considera a obra não adequada para crianças de sete a oito anos do ensino fundamental, pela abordagem do tema incesto. O livro em questão explora explicitamente o casamento entre pai e filha.

Comentários