Moradores e vereador foram ao MP para saber que o Órgão estará investigando o Centro para menores.
Alexandre Lima

Durante a manhã desta quinta-feira, dia 10, os promotores de justiça do MP em Brasiléia, senhora Maria de Fátima e Marcos Pescador, recebeu inicialmente o vereador do município de Brasiléia, Charbel Saady (PP), que esteve na companhia de moradores do Bairro Raimundo Chaar, para tratar de assuntos relevantes a construção do Centro para menores infratores no centro da cidade.

Promotores Maria de Fátima e Carlos Pescador realizaram visitar o local nesta quinta, dia 10.

No início de junho passado, um documento com centenas de assinaturas colhidas, foi entregue no MP de Brasiléia, onde pedia investigação na construção no prédio em uma área particular, mas que será administrado pelo Estado, sem que houvesse licitações, pregões, etc.

Os moradores deixam claro que, não são contra a instalação do abrigo no Município, mas, são contrários da forma que foi resolvido. O local está próximo de escolas, as margens do rio Acre, não teve consulta popular e não passou pela Câmara Municipal, sem falar que não está no Plano Diretor, entre outros motivos.

Mesmo diante da negativa de parte da população, a construção que durou menos de três meses, trabalhando em ritmo acelerado dia e noite, poderá ser entregue neste sábado, dia 12, contando com a presença do governador Sebastião Viana.

Proprietário foi convidado junto com represetantes do ISE para serem ouvidos pelos promotores.

Segundo os promotores, foi instaurado um procedimento na área civil do Município, onde as partes envolvidas serão chamadas para serem ouvidas acerca do abrigo, além e apresentação de documentos.

Após conversa com o vereador e imprensa, os promotores realizaram uma visita surpresa no local da construção. O empresário e proprietário, Aldemir Cavalcante Lopes, conhecido por ‘Bidu’, que estava no local da obra, apresentou as instalações e respondeu perguntas.

Vistorias foram realizadas no local da obra.

Faltando menos de 48 horas para ser entregue e com muita coisa para fazer, os promotores acreditam que local atenderia inicialmente as necessidades, como celas, salas de aula, refeitórios, lavanderia, administração, etc.

Já por parte dos moradores, não se sabe se haverá alguma manifestação no dia da inauguração, onde pretendem demonstrar a insatisfação de terem um vizinho indesejado.

 

Comentários