Conecte-se conosco





Geral

Menina de 15 anos tem casa invadida e é executada a tiros na frente da tia e primos em Rio Branco

Publicado

em

Bruna Marcela da Silva e Silva, de 15 anos, foi executada a tiros dentro de casa em bairro de Rio Branco — Foto: Arquivo pessoal

Por Iryá Rodrigues

Segundo informações, Bruna traiu a facção de origem o B13 e começou a andar com membros do CV no município de Epitaciolândia e no país vizinho, Bolívia, cidade de Cobija

A adolescente Bruna Marcela da Silva e Silva, de 15 anos, foi executada a tiros na noite dessa terça-feira (23) no Conjunto Habitacional Cidade do Povo, em Rio Branco. Segundo informações do 2º Batalhão da Polícia Militar, que atendeu a ocorrência, ela teve a casa invadida e foi morta na frente da tia e de dois primos.

A informação repassada à polícia pela tia da menina é que eles estavam em casa quando foram surpreendidos por batidas na porta da sala. Em seguida o imóvel foi arrombado e dois homens entraram, sendo que um estava com uma arma de fogo.

Eles foram em direção da vítima, que ainda tentou se trancar no quarto, mas foi alcançada e acabou sendo atingida por ao menos cinco tiros. A tia relatou ainda que só conseguiu ter reação de segurar os dois filhos menores de idade e se trancar no banheiro. Por isso, ela não teria conseguindo ver ou identificar os autores e nem saber como chegaram até o local e nem a direção que tomaram.

Ainda segundo a Polícia Militar, não foram feitas buscas na região, porque a tia da adolescente informou que quando a equipe policial chegou ao local já estava com mais de 10 minutos do fato.

Uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi ao local, mas apenas pode constatar o óbito da menina. Após o trabalho da pericia técnica, o corpo da jovem foi levado para o Instituto Médico Legal (IML) para os devidos procedimentos.

A reportagem o delegado Ricardo Casas, da Delegacia de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP) informou que ainda são preliminares as informações e que ainda deve ouvir as testemunhas. Segundo ele, a suspeita inicial é que o caso tenha ligação com confronto de facção criminosa, mas que isso ainda precisa ser apurado e confirmado.

De acordo com informações da polícia, Bruna estava em casa quando homens não identificados chegaram em uma motocicleta, desceram, quebraram o portão e invadiram a casa. Em posse de uma arma de fogo, um dos criminosos rendeu a adolescente e efetuou um tiro que atingiu o rosto da vítima.

A polícia acredita que o crime foi motivado pela guerra entre facções, uma vez que Bruna traiu a facção de origem o B13 e começou a andar com membros do CV no município de Epitaciolândia e no país vizinho, Bolívia, cidade de Cobija, quando passou um tempo morando na região do município.

Segundo apurou a reportagem, Bruna chegou a pedir desculpas a organização criminosa B13, e após isso, foi morar na Cidade do Povo, porém, foi julgada pelo tribunal do crime que decretou a sua morte.

Comentários

Em alta