Fenam diz que atendimento público estará suspenso. Há manifestações previstas também para esta quarta (31)

Médicos de ao menos 22 Estados participam de uma mobilização da categoria contra o programa Mais Médicos nesta terça (30) e quarta-feira (31). De acordo com a Federação Nacional dos Médicos (Fenam), haverá suspensão do atendimento ao público em alguns Estados nestes dois dias, mas os serviços de urgência e emergência serão mantidos.

Paralisação de médicos na manhã desta terça-feira (30), no centro de Curitiba (PR) -  Futura Press
Paralisação de médicos na manhã desta terça-feira (30), no centro de Curitiba (PR) – Futura Press

Os profissionais protestam principalmente contra dois pontos do programa: o acréscimo de dois anos de serviço no Sistema Único de Saúde (SUS) aos estudantes de medicina e o incentivo para atuação de médicos estrangeiros no País, sem a revalidação dos diplomas.

Além do Mais Médicos, a categoria também é contra os vetos da presidente Dilma Rousseff à Lei do Ato Médico. A Fenam argumenta que a classe médica não foi ouvida nas negociações com o governo, o que exigiu ações “mais fortes” por parte dos profissionais.

Em São Paulo, médicos, residentes e estudantes programaram uma passeata para esta quarta-feira, às 16h. A concentração da manifestação será em frente à sede da Associação Paulista de Medicina, na avenida Brigadeiro Luis Antônio. Eles irão seguir pela avenida Paulista e pela rua da Consolação até a sede do Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (Cremesp).

Ainda segundo a Fenam, a mobilização desta semana é um preparativo para a grande marcha à Brasília, no dia 8 de agosto, quando está prevista uma audiência pública sobre o Mais Médicos no Congresso Nacional.

Comentários