Agência do INSS continua sem médico e perícias terão que ser remarcadas no Acre. Agência do INSS em Brasiléia.

Mesmo com a convocação imediata para que peritos médicos federais e supervisores médico-periciais voltem a atender nas agências do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), no Acre, o serviço ainda não foi retomado.

Na terça-feira (22), o gerente executivo do INSS no Acre, Carlos José, informou que os médicos que estavam escalados para as perícias pela manhã não compareceram às agências.

“Tínhamos perícias agendadas para a manhã de hoje [terça,22]. Porém, não houve comparecimento de médico perito.Vamos acompanhar a agenda da tarde”, disse.

_______________

Os segurados foram orientados a reagendar, através dos canais remotos: Central 135 e Meu INSS.

_______________

Estão agendadas para esta terça, 43 perícias. “Falei com o supervisor da perícia médica e ele disse que as médicas escaladas para a tarde iriam comparecer.”

Edital

O edital afirma que a convocação no Diário Oficial acontece “em complementação às convocações já realizadas pelos canais institucionais próprios”.

O documento é assinado pelo secretário especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, Bruno Bianco, e pelo secretário de Previdência Narlon Gutierre Nogueira.

Peritos não comparem nas agência do INSS no Acre — Foto: Reprodução/Rede Amazônica Acre

Disputa entre INSS e peritos

A previsão era de que as perícias médicas fossem retomadas na última segunda, quando o INSS deu início à retomada gradual do atendimento presencial nas agências.

Os peritos, no entanto, se recusam a retornar ao trabalho, afirmando que as agências não estão adequadas à retomada. Na quinta-feira, o governo determinou a volta dos atendimentos periciais.

A Associação Nacional dos Médicos Peritos (ANMP) vem disputando uma queda de braço com o governo sobre a questão. A entidade acusa o INSS de haver adulterado o checklist para a reabertura, e diz que a suposta determinação de retorno será ignorada.

À GloboNews, Bianco afirmou que não cogita levar o caso à Justiça, e que tem confiança de que os peritos voltarão aos seus postos. “Não penso em judicialização porque eu estou convicto de que eles voltarão”, afirmou.

Segundo o secretário, o governo não pode contratar peritos externos para trabalhar no lugar dos faltantes: “Nem sequer podemos contratar outros peritos externos, isso não seria adequado do ponto de vista legal, já que eles são essenciais e também exclusivos. Motivo pelo qual eles obrigatoriamente têm que voltar e não podem fazer greve”, afirmou.

Comentários