Conecte-se conosco





Cotidiano

Médico acreano que estudou em escola pública é chamado para pesquisa da vacina contra o HIV

Publicado

em

Por Wanglézio Braga / Foto: Reprodução

O médico infectologista acreano, Dyemison Pinheiro, de 27 anos, foi escolhido para integrar uma equipe que tem uma missão muito especial para milhares de pessoas no mundo: Estudar a vacina contra o HIV (Vírus da Imunodeficiência Humana). A escolha do profissional que é residente médico em infectologia no Instituto de Infectologia Emílio Ribas, em São Paulo (SP), foi bastante comemorada tanto pela família quanto por amigos e profissionais da área.

Em entrevista exclusiva ao AcreNews, Pinheiro enfatizou que foi aprovado no processo seletivo com participação de concorrentes de todo o país e que a sua atuação no estudo terá início já no próximo dia 27. “A partir dessa data terei treinamentos específicos sobre a vacina e começarei a atuar diretamente no estudo”, enfatizou.

Dyemison executará os trabalhos na Casa da Pesquisa do Centro de Referência e Treinamento em DST/AIDS de São Paulo, mas o estudo está acontecendo em outras instituições também. Na realidade, oito países participam dos testes clínicos.  No Brasil, as pesquisas ocorrem em oito centros localizados em São Paulo, no Rio de Janeiro, em Minas Gerais e no Paraná.

O acreano aprovado no processo entra numa etapa importante dos mais recentes estudos, chamada de fase III, quando começam os testes em humanos para descobrir a eficácia da fórmula para produzir anticorpos contra o vírus. “Ao passo que a pesquisa vai fluindo, será possível explicar ainda mais sobre o nosso trabalho. Por enquanto, estou muito feliz em poder participar do grupo”, disse.

Recentemente, o coordenador do Estudo Mosaico, Bernardo Porto Maia, que conduz a pesquisa com o projeto de imunizante em São Paulo, disse que o mundo “nunca esteve tão perto de uma vacina contra o HIV”. Ou seja, após 40 anos de pandemia de Aids, a humanidade pode ter à disposição um imunizante eficaz.

Vale lembrar que o HIV é a sigla em inglês do vírus da imunodeficiência humana, causador da Aids, que ataca o sistema imunológico, responsável por defender o organismo de doenças.

De acordo com a UNAIDS, cerca de 37,6 milhões de pessoas foram infectados com HIV no mundo no ano de 2020. Outras 1,5 milhão de pessoas foram infectadas recentemente por HIV e 90 mil pessoas morreram de doenças relacionadas à AIDS somente no ano passado.

Dyemison Pinheiro é natural de Rio Branco, estudou o ensino médio na Escola Professor José Rodrigues Leite, no centro de Rio Branco. Mais tarde, conseguiu ingressar na Universidade Federal do Acre (UFAC), sendo graduado em medicina. A especialização vem em seguida, quando decidiu sair do Acre e mudou-se para São Paulo para ingressar como residente no Instituto de Infectologia Emílio Ribas.

Comentários

Em alta