Conecte-se conosco





Cotidiano

Médica acreana que tomou 3 doses de vacina contra a Covid-19 é identificada

Chama-se Jaqueline Moura a profissional que burlou o sistema de vacinação e que agora responde por crime

Publicado

em

POR TIÃO MAIA

Atende por Jaqueline Moura a médica ginecologista de Rio Branco que burlou o sistema de vacinação contra a Covid-19 da Capital e tomou três doses do imunizante, a última no último dia 6 (terça-feira), da farmacêutica Janssem, de dose única. O caso foi denunciado pela Secretaria Municipal de Sáude (Semsa) e já é apurado como crime pelo Ministério Público do estado do Acre (MPAC). O CRM (Conselho regional de Medicina) também será comunicado do fato.

Jaqueline Moura conseguiu cometer a irregularidade porque se prevaleceu de sua condição de médica, inclusive de gestora de uma clínica. Por sua condição de profissional de saúde agindo na linha de frente de combate à Covid, ela entrou na lista das prioridades, tomando as primeiras duas doses da Coronavac. A primeira dose tomada por ela foi no dia dia 26 de janeiro deste ano e a segunda, em 24 de março. Mesmo já imunizada, assim que soube da aplicação da vacina da Janssem no drive–thru na frente do 7º BEC, ela se dirigiu ao local para tomar a dose única e com isso passar a ser a única pessoa do Acre a ter tomado as três doses.

Se acha que está excessivamente imunizada, a médica pode ter problemas de saúde pelo excesso e cruzamento de vacinas, disseram médicos ouvidos pela reportagem. A ação da médica é considerada crime e foi descoberta após uma denúncia anônima à Semsa. O caso foi levado ao MPAC pelo secretário municipal de saúde Frank Lima, que também levará a denúncia ao CRM (Conselho Regional de Medicina). De acordo com o secretário, sendo a médica pessoa instruída sobre o perigo de fazer o cruzamento de vacinas sem estudos e sem recomendação do Ministério da Saúde, ela não poderia ter tomado as doses em excesso nem tampouco burlar o sistema para fazer o cruzamento das vacinas.

Forma premeditada

O secretário de Saúde, Frank Lima, disse que a médica agiu de má fé e de forma premeditada para receber a vacina de dose única.

Ele criticou a postura da profissional e disse que vai levar o caso para apuração do: Ministério Público, Conselho Regional de Medicina do Acre, Superintendência de Saúde no Acre, Programa Nacional de Imunização e para a Controladoria da União.

“Percebemos que foi um ato deliberado, porque foi atrás de uma vacina específica de dose única. Foi algo premeditado. Isso é falta de respeito com a sociedade e coloca em risco a equipe de imunização. Porque quando se burla o sistema, você coloca em jogo também a credibilidade da equipe. E eu não posso deixar que um caso isolado coloque em risco a credibilidade dessa equipe de guerreiros que já fez mais de 150 mil vacinas em Rio branco”, afirmou.

Secretário de Saúde fala sobre médica que burlou sistema e tomou 3ª dose da vacina

O secretário informou que, como está configurada a “má fé” por parte da médica e como a Semsa não tem poder de investigação, as equipes que estavam no drive-thru no dia em que ela foi vacinada devem ser chamadas para prestar informações aos órgãos de controle.

“Essa pessoa já tinha passado pelo drive, já tinha sido identificada e ela voltou no segundo momento. A veracidade disso tudo quem vai colocar no papel são os órgãos de controle. Cabe à Semsa noticiar esses órgãos sobre o fato ocorrido e isso nós estamos fazendo. As pessoas que estavam no drive é que deverão ser chamadas pelos órgãos de controle para contar o ocorrido.”

Ginecologista Jaqueline Lola Hassen burlou sistema e tomou três doses da vacina contra a Covid-19 – Foto: Reprodução/Rede Amazônica

Apuração

A reportagem, o CRM-AC informou que não recebeu nenhuma formalização sobre o caso e que não tem elementos suficientes para se manifestar a respeito.

A Secretaria Estadual de Saúde do Acre (Sesacre), onde a médica tem contrato, não respondeu se vai abrir procedimento para apuração.

O Ministério do Público do Acre (MP-AC) afirmou que ainda não foi notificado. A assessoria informou ainda que a Ouvidoria do MP-AC ainda não recebeu nenhuma notificação de pessoas que tomaram ou tentaram tomar a terceira dose da vacina.

Crime contra o patrimônio público

Em nota divulgada nessa quarta (7), a Semsa informou que o caso seria levado aos órgãos de controle para instaurar os devidos procedimentos legais, uma vez que se trata de crime contra o patrimônio público e que coloca em risco a vida, já que não tem estudos que apontem nessa direção.

Em entrevista à Rede Amazônica, o secretário Frank Lima disse que o caso causou surpresa na equipe de saúde, principalmente por se tratar de uma pessoa que, teoricamente, tem conhecimento sobre os riscos de fazer o cruzamento de vacinas sem recomendação do Ministério da Saúde.

“Estamos falando de uma pessoa que tem conhecimento e fez um juramento. Seu conselho profissional precisa saber dessa conduta ética e moral, assim como o Ministério Público, que é o guardião da lei e precisa resguardar quem ainda precisa tomar a vacina.”

Outras tentativas de tomar 3ª dose

A Secretaria de Saúde de Rio Branco (Semsa) informou ainda que também nesta terça foram identificadas mais duas pessoas tentando tomar a terceira dose da vacina na Policlínica Barral & Barral e outra na Urap Eduardo Assmar.

“Ao serem identificadas, foi tirado um print da página do aplicativo e pedido para essas pessoas se retirarem das filas”, dizia a nota.

Comentários

Em alta