Denis Lopes morreu na madrugada desta terça-feira (28). Homem estava internado na UPA do 2º Distrito desde sábado (25) e não sofria com outras doenças.

Mecânico de 45 anos morre por Covid-19 e número de mortes pela doença no AC sobe para 15 — Foto: Arquivo pessoal
Por G1 AC — Rio Branco

O mecânico Denis de Lima Lopes, de 45 anos, morreu na madrugada desta terça-feira (28) e é a 15ª vítima de Covid-19 no Acre.

O caso foi confirmado pelo governo e também pela Secretaria de Saúde do estado (Sesacre).

O paciente, segundo a família, não tinha outras doenças que o colocassem no grupo de risco. O exame com o resultado positivo para Covid-19 saiu na noite de segunda-feira (27), mas a mulher dele conta que Lopes estava internado na UPA do Segundo Distrito desde sábado (25).

“Ele começou há algumas semanas com sintomas do que a gente achava que era gripe, procurou a UPA da Sobral e ficou sendo medicado em casa. Só que começou a ficar com uma tosse e falta de ar, disse que não estava aguentando, então fomos no hospital às 4h da manhã de sábado [25] e mandaram a gente ir na UPA do Segundo Distrito, chegando lá, já internaram ele, porque na hora de colher [o exame] ele passou muito mal”, conta a mulher do mecânico, Ana Maria de Paula.

Na UPA, ele chegou a ser entubado e ainda na noite de segunda, a família teve a confirmação que o exame havia dado positivo. “No PS não tinha UTI, mas ele ficou em uma sala reservada e estava muito bem amparado e com todos os equipamentos de UTI, só não estava na sala da UTI”, disse.

A família também não sabe como ele contraiu a doença.

No estado, até esta segunda, são 2.466 casos notificados; 1.460 casos descartado; 301 confirmados e 705 seguem em análise. Do 301 casos, 256 são em Rio Branco; 13 em Acrelândia; um no Bujari; 22 em Plácido de Castro; dois em Porto Acre, dois em Senador Guiomard e cinco em Cruzeiro do Sul.

Outras mortes confirmadas

No boletim de segunda, foi registrado mais três mortes: um homem de 42 anos que sofria de diabetes; uma mulher de 74 anos, que tinha doença cardíaca, hipertensão e diabetes e ainda um homem de 60 anos que também era hipertenso. Todas as vítimas eram de Rio Branco e as duas primeiras mortes estão datadas em 26 de abril e a terceira foi no dia 27.

A comerciante Therezinha Mota, de 64 anos, também foi vítima da doença. Ela estava na UTI do PS há quatro dias, sendo que havia passado mais quatro internada na Prontoclínica de Rio Branco.

Antes dela, mais dois idosos que estavam internados na UTI do Pronto-Socorro não resistiram à doença. As vítimas foram uma senhora de 79 anos e um homem de 68 anos.

A oitava morte é de um idoso de 85 anos que faleceu em 19 de abril, por volta das 19h50, vítima da doença, no PS de Rio Branco. A sétima morte é de uma aposentada de 69 anos que faleceu no dia 18.

A sexta morte no estado é de um administrador de uma empresa e tem 51 anos. Ele estava internado há um mês no Hospital Santa Juliana, depois de ser diagnosticado com câncer, e morreu. A Saúde informou que o exame para Covid-19 deu positivo e ele havia sido transferido para UTI do PS com quadro clínico grave.

O exame confirmou que o motorista de aplicativo Mariano Neto, de 35 anos, que morreu no dia 14, foi em decorrência de complicações causadas pela Covid-19. A família contou que, desde janeiro, ele fazia tratamento para uma pneumonia bacteriana e que o quadro havia se agravado em março. Ele foi a quinta vítima da doença.

A quarta vítima da doença foi o aposentado João Faustino Gadelha, de 79 anos. Ele estava internado na UTI do PS em Rio Branco desde o dia 6 de abril, quando chegou já em estado grave. Esta foi a primeira morte registrada em Plácido de Castro, tendo em vista que a vítima morava lá.

A terceira vítima do vírus, Andre Avelino, de 82 anos, morreu no Lar Vicentino, no dia 11 e o exame que comprovou a causa da morte como Covid-19 saiu um dia depois.

Além deles, Antônia Holanda, de 79 anos, e Maria Lúcia Pismel de Paula, de 75, morreram no dia 6 e 9, respectivamente, por complicações após serem diagnosticadas com Covid-19.

Depois da morte de Avelino, mais dois idosos do abrigo tiveram que ser levados à Unidade de Pronto-Atendimento em Rio Branco para avaliação e acompanhamento médico, mas o resultado para a doença deu negativo. Uma higienização também foi feita no local.

Alunos de medicina da Universidade Federal do Acre (Ufac) criaram um canal de teleatendimento que está ajudando nas orientações e até encaminhamentos de casos suspeitos da doença.

Uma pesquisa, divulgada, na quarta-feira (15), mostra ainda que menos de 40% dos acreanos cumprem o isolamento social. De acordo com o levantamento, a segunda-feira (13) foi o dia em que o índice de isolamento mais caiu em todo o estado.

Comentários