Conecte-se conosco





Cotidiano

Justiça determina prisão preventiva de pai acusado de espancar filho

Publicado

em

Medida ocorre após juiz plantonista decidir-se pela soltura. Vídeo feito pelo pai, agora considerado foragido, mostra garoto ferido

Imagem de vídeo que mostra menino com sangue pelo corpo
REPRODUÇÃO

A Justiça de Mato Grosso do Sul determinou a prisão preventiva do pai acusado de espancar o próprio filho,de 3 anos. Um vídeo mostra o garoto com sangue escorrendo pelo nariz e chorando, enquanto o pai afirma que iria “bater mais” e pede que ele tire a calça. As imagens viralizaram e provocaram comoção em Ponta Porã, onde a família reside.

O vídeo foi feito pelo próprio pai do garoto, que depois decidiu apagar o arquivo. A mãe da criança, no entanto, conseguiu recuperar as imagens e as enviou a parentes, que denunciaram o caso à polícia.

O homem foi detido no dia 25, mas solto dois dias depois por um juiz plantonista, que entendeu não haver elementos de prisão em flagrante em razão do horário da gravação do vídeo e do momento da prisão.

A polícia fez um novo pedido de prisão preventiva, que foi aceito pela Justiça nesta terça-feira (5). O pai do garoto agora é procurado pela polícia e considerado foragido.

Investigação

Segundo a delegada Analu Lacerda Ferraz, que investiga o caso no 1º DP de Ponta Porã, o vídeo deixa clara a agressão, uma vez que o pai chega a dizer “eu vou te bater mais”. Além disso, irmãos da criança afirmaram a psicólogas que “ele bateu e tirou sangue” e “ele sempre bate na gente”.

A delegada informou que o pai disse que a criança estava sangrando porque tinha caído. “Ele alega que a criança caiu, mas, das quatro crianças no imóvel, três estavam machucadas. Fiz um auto de constatação com fotografias das lesões e encaminhei o vídeo à Justiça para que, ao avaliar a situação, não haja dúvida”, afirma.

A criança agredida e seus irmãos estão com parentes em outra cidade e sob a supervisão do Conselho Tutelar de Ponta Porã.

Dor R7

Comentários

Em alta