Conecte-se conosco

Acre

Júri popular: “Crime do lixão” será julgado no dia 17 de abril

Publicado

em

O crime que chocou a população de Brasiléia e Epitaciolândia no ano de 2011

Alexandre Lima

Arma do crime foi encontrada no Rio Acre pelos policiais civis - Foto: Arquivo

Arma do crime foi encontrada no Rio Acre pelos policiais civis – Foto: Arquivo

O crime que assustou a população de Brasiléia e Epitaciolândia em meados de 2011, está prestes a chegar ao fim. O julgamento dos acusados foi marcado para o dia 17 de Abril próximo e deverá durar cerca de três dias, além de ser muito aguardado.

Cristhiane foi morta a tiros e teve seu corpo queimado no lixão de Brasiléia - Foto: arquivo

Cristhiane foi morta a tiros e teve seu corpo queimado no lixão de Brasiléia – Foto: arquivo

A Comarca de Brasiléia, comandada pelo Senhor Juiz, Doutor Hugo Barbosa Torquato, juntamente com o júri popular, estarão ouvindo cerca de 15 testemunhas de acusação e defesa. O caso, que é classificado como homicídio qualificado, terá como réus, Luis Carlos Ferreira (ex-namorado) e Jonathan Wendell R. Rodrigues, o ‘Ferrugem’, como cúmplice no assassinato.

Na época, após dias de procura e investigação, os restos da vítima foi encontrado no lixão. Os dois foram acusados de terem assassinado a jovem Cristhiane Maria Prudente com vários tiros e depois queimar o corpo utilizando gasolina.

Luiz Carlos que estava foragido, foi preso em Cruzeiro do Sul. Os acusados foram detidos e detalhes foram a tona sobre o crime, fatos esses que chocaram os moradores na fronteira pelos requintes de crueldade.

Cristhiane tinha 20 na época e deixou uma criança de 4 anos. Promotoria poderá pedir pena máxima aos réus.

Jonathen Wendell 'Ferrugem' (cumplice)

Jonathan Wendell ‘Ferrugem’

Luis Carlos foi preso dias depois - Foto: Arquivo

Luis Carlos foi preso dias depois

 

Comentários

Acre

PM recuperou mais de 570 veículos no Acre em 2022, aponta balanço

Publicado

em

Durante o ano, foram recuperados mais de 570 veículos roubados ou furtados, além de 542 armas de fogo apreendidas e 1.764 apreensões de drogas.

 

Mais de 570 veículos, furtados ou roubados, foram recuperados no Acre em 2022. É o que aponta o balanço operacional divulgado pela Polícia Militar do Acre esta semana.

Ao todo foram 10.560 operações realizadas, mais de 230 mil pessoas abordadas, 542 armas de fogo apreendidas, 1.764 apreensões de drogas e 6.984 pessoas conduzidas à delegacia.

Além dos números relatados, A PM-AC também inciou a operação ‘Sentinela’.

Confira os dados comparativos entre 2021 e 2022

 

  • Mortes violentas no Acre tiveram aumento de 21%
    95 em 2021
    236 em 2022
  • Em Rio Branco houve diminuição de 10%
    107 em 2021
    96 em 2022
  • Roubos diminuíram em Rio Branco 20%
    2.348 em 2021
    1.872 em 2022
  • Roubos diminuíram no Acre 19%
    2.534 em 2021
    2.055 em 2022
  • Furto de veículo subiu em 1%
    247 em 2021
    249 em 2022
  • Roubo de veículos diminuiu em 35%
    728 em 2021
    471 em 2022

 

O comandante geral da PM-AC, coronel Luciano Dias, afirmou que no ano de 2023 o objetivo da corporação é se aproximar cada vez mais da comunidade com programas sociais e operações que visem a proteção da população.

“O policiamento comunitário na proximidade com a comunidade, avançando em postos de policiamento móveis, operações como operação ‘Sentinela, o ‘Vizinhança Solidária’, ‘Maria da Penha’, programas do PROERD, do policiamento escolar. Então é se aproximar cada vez mais da comunidade a fim de aumentar a sensação de segurança e também de poder ampliar a vigilância e atuar fortemente. Esse é o foco prioritário do nosso plano estratégico que envolve todas as unidades da Polícia” explicou.

Operação Sentinela

 

A “Operação Sentinela” foi deflagrada durante a solenidade e está prevista para ocorrer, inicialmente, em toda Rio Branco. A ação policial agregará todas as unidades operacionais de área, especializadas e comunitárias da instituição, tendo como viés uma aproximação maior com a comunidade.

Operação Sentinela foi deflagrada durante a solenidade em que foi divulgado o balanço de 2022  — Foto: Reprodução/Asscom

Operação Sentinela foi deflagrada durante a solenidade em que foi divulgado o balanço de 2022 — Foto: Reprodução/Asscom

*Estagiário sob supervisão da jornalista Tácita Muniz.

Comentários

Continue lendo

Acre

Servente geral é perseguido e baleado dentro de escola no interior do Acre

Publicado

em

Servidor buscou abrigo dentro da Escola Jader Saraiva Machado, em Porto Acre, onde trabalha. Ele levou dois tiros e foi socorrido pelo Samu. Direção do colégio informou que não havia alunos no momento do crime.

Um servente geral terceirizado da Escola Jader Saraiva Machado da cidade de Porto Acre, interior do estado, foi perseguido e baleado duas vezes dentro do colégio na manhã desta quinta-feira (26). O crime ocorreu quando os servidores chegavam para trabalhar.

Não havia alunos da escola no momento do crime.

Segundo a Polícia Militar (PM-AC), testemunhas relataram que os suspeitos aguardavam o servente em frente ao colégio. Ao perceber a presença dos criminosos, o homem teria buscado abrigo dentro da escola, mas foi alcançado e baleado pelo menos duas vezes no tórax.

Colegas de trabalho da vítima acionaram o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e a PM-AC. Os criminosos fugiram antes da chegada das equipes.

O homem foi levado para o hospital da cidade consciente. A PM-AC informou que o servidor tem passagem pela polícia e já cumpriu pena por furto qualificado.

A direção do colégio informou que a escola está aplicando provas de recuperação para alguns alunos. O último dia de aula seria nesta quinta, mas o encontro foi adiado para segunda-feira (31).

Comentários

Continue lendo

Acre

Promotor discorda de decisão do júri e decide recorrer da absolvição de policial federal

Publicado

em

Por Saimo Martins

Logo após o fim do julgamento na 2ª Vara do Tribunal do Júri de Rio Branco, na Cidade da Justiça, o promotor de Justiça do Ministério Público, Teotônio Rodrigues Júnior, declarou que já protocolou um recurso para recorrer da decisão do júri que absolveu o Victor Campelo Manoel Fernandes, pela morte do estudante Rafael Chaves Frota, 26 anos, em julho de 2016.

Rodrigues contestou a maioria dos jurados que alegaram que houve legítima defesa nos disparos que vitimou o estudante. “Não é caso de legítima defesa. Entendemos que os tiros em local fechado cheio de pessoas não configuram a defesa”, declarou.

O representante de acusação do Ministério Público, adiantou que o recurso já foi aberto nos termos do artigo 593. A decisão de absolvição ocorreu por 4 votos a 3 e foi lida pelo juiz Alesson Braz.

A acusação foi representada pelo promotor de Justiça Teotônio Rodrigues Júnior. Já a defesa do acusado foi feita pelos advogados Wellington Frank dos Santos e Matheus da Costa Moura.

Comentários

Continue lendo

Em alta