Willamis França, do Notícias da Hora

O adolescente Luiz Angel Gonzales, de 14 anos, de nacionalidade boliviana, está internado no Hospital da Criança há três meses. Ele trata uma doença rara chamada de “pênfigo vulgar”. O adolescente toma medicação para as fortes dores que sente sempre que precisa trocar os curativos, que envolvem seu corpo devido à doença autoimune.

A senhora Eidy Roca Lopez, de 33 anos, mãe do garoto, mora em Pando – Bolívia, no bairro Tahuamanu. Ela trouxe o filho para a capital Rio Branco, devido não ter tido mais condições de arcar com os custos na Bolívia. O sistema de saúde daquele país é pago. Lopez disse que o filho sofre com muitas dores, e que o sofrimento dele, é o dela também.

De acordo com a mãe do adolescente, o tratamento feito na Bolívia foi mal conduzido devido o curativo não ter sido feito da forma adequada. “O sonho do meu filho é sair desse sofrimento e poder ver os irmãos deles e com a benção de Deus iremos voltar pra casa, por isso pedi ajudar do jornal, pois quem precisa de ajuda é ele, e não eu”, diz a mãe em um vídeo enviado ao Notícias da Hora.

De acordo com um relatório médico enviado à nossa reportagem, pela mãe do adolescente, aponta que Luiz Angel foi diagnosticado com pênfigo vulgar , uma doença autoimune rara e grave, na qual bolhas de diversos tamanhos surgem sobre a pele e o revestimento da boca e em outras membranas mucosas, é que durante o tempo que já está internado apresentou quadro de infecção secundária das lesões.

Ele é a mãe encontram-se no Hospital da Criança em um leito de isolamento desde o dia 31 de agosto de 2020. De acordo com o relatório médico, sem previsão de alta.

A mãe conta que o maior desejo dela é voltar para o país de origem e levar o filho, para que o mesmo siga seu tratamento próximo dos seus familiares, mas devido uma dívida muito alta adquirida com o tratamento do filho, cerca de R$ 24.560 não pode deixar o país por não ter condições de arcar com as despesas no hospital boliviano. A mãe vive dentro do hospital com o filho devido não ter parentes e nem local para ficar.

Um número de contato foi deixado com a nossa reportagem para quem puder ajudar. “Seja com qualquer quantia, será bem-vinda, pois a mãe precisa para se manter com alimentação e material higiênico”, disse Maria Mendes, acreana que se sensibilizou com o caso do jovem Luiz Angel. O contato é (68) 99972- 1035.

Comentários