As denúncias feitas à Delegacia de Combate a Crimes de Corrupção e Contra a Ordem Tributária e Financeira (Decor), em outubro passado, de que o prefeito de Xapuri, Ubiracy Vasconcelos, mantinha duas funcionárias fantasmas na folha de pagamento da prefeitura e que as mulheres seriam, supostamente, suas amantes ainda continuam sem qualquer resposta.

As acusações foram feitas em plena campanha eleitoral na qual Vasconcelos concorria à reeleição e tiveram grande repercussão depois de terem sido divulgadas por um jornal online de Rio Branco e compartilhadas massivamente pelas redes sociais. Passadas as eleições, que foram vencidas pelo próprio Ubiracy, o assunto foi esquecido e não se comentou mais sobre o assunto.

Ocorre que um procedimento investigatório foi aberto pela Decor, que mandou uma equipe de agentes ao município para coletar informações a respeito das denúncias. Na época, o delegado responsável pelo caso, Pedro Henrique Resende, afirmou não poder informar detalhes sobre a investigação, se resumindo a confirmar que as denúncias haviam chegado à polícia.

Na ocasião, os policiais comandados por Pedro Resende ouviram os secretários das pastas onde as funcionárias trabalham e coletaram documentos, no gabinete do prefeito e nas secretarias, como folhas de ponto e outros, que pudessem comprovar ou não o comparecimento ao serviço por parte das duas funcionárias comissionadas envolvidas nas denúncias.

O prefeito Ubiracy Vasconcelos afirma que ainda não foi intimado a prestar esclarecimentos à polícia sobre o assunto. De acordo com ele, assim que teve conhecimento da denúncia, pediu ao delegado, por meio de seu advogado, que o caso fosse averiguado com urgência em razão do fato interferir no processo eleitoral que se desenrolava naquele momento.

“Nós sempre fomos os maiores interessados em que tudo isso fosse esclarecido o mais rapidamente possível, pois sabíamos que tinha um único interesse envolvido que era o de nos prejudicar eleitoralmente. Por isso, abrimos as portas da prefeitura nos colocando à inteira disposição para prestar todas as informações necessárias ao trabalho da polícia”, disse o prefeito.

Em busca de atualizações sobre o caso, a reportagem do ac24horas manteve contato com o assessor de comunicação da Polícia Civil do Acre, o jornalista Sandro de Brito, nesta segunda-feira, 14. Ele informou que a investigação continua em andamento, mas que ainda não existe nada de concreto a respeito do que foi denunciado à Decor.

O advogado constituído do prefeito Ubiracy Vasconcelos e dos secretários envolvidos na denúncia, Maxsuel Maia, disse que não existe sequer um inquérito em curso, tendo sido instaurado apenas um procedimento preliminar de investigação. Segundo ele, os seus representados seguem à disposição da polícia e aguardam com tranquilidade o encerramento do caso.

“No mais, abrimos a prefeitura para todos os esclarecimentos, apresentamos todas as pessoas que o delegado queria inquirir e aguardamos, serenos, a conclusão das autoridades”, disse o advogado.

Comentários