Operação “Louva-a-deus” é um desdobramento das investigações da morte de Rubem Ariel Silva Souza, no Conjunto Habitacional Morar Melhor. São cumpridos, no total, 47 mandados.
Assessoria

A Polícia Civil de Rondônia realiza na manhã desta sexta-feira (4) a Operação “Louva-a-deus”, para prender integrantes de uma das maiores facções do estado, conhecida como o Primeiro Comando do Panda.

Em Porto Velho são cumpridos 19 mandados de prisões preventivas, 27 de buscas e apreensões e uma internação provisória, por se tratar de um adolescente.

A ação é um desdobramento das investigações do caso de tortura, homicídio e decapitação da vítima identificada como Rubem Ariel Silva Souza, no Conjunto Habitacional Morar Melhor.

A Delegacia Especializada em Crimes Contra à Vida confirmou que a morte da vítima foi filmada pelos executores que orquestraram meticulosamente o crime. Uma das mulheres que participou da execução teria atraído Rubem a comparecer no apartamento de um dos integrantes da facção, para um encontro amoroso. Quando chegou ao local, a vítima foi “interrogada”, torturada e decapitada.

“Crime feito com requintes de crueldade, mediante o uso de pedra, faca, facão e “machadinha”, com intensidade tal poucas vezes visto nesta cidade, com submissão da vítima a sofrimento físico bárbaro e atroz, pois acreditavam que a vítima integrava a facção rival […] Em tese, tratou-se de atos explícitos de “Tribunal do Crime”, onde a vítima foi interrogada, julgada e executada”, consta na investigação da Polícia Civil.

O nome da Operação faz referência à algumas espécies de louva-a-deus , em que a fêmea devora e mata o macho durante o acasalamento, decapitando-o.

Participaram da operação mais de 100 policiais civis do Departamento de Polícia Especializada, Departamento de Estratégia e Inteligência (Dei), Departamento de Narcóticos (Denarc), Departamento de Polícia Metropolitana (Depom) e da Direção Geral de Polícia Civil (DGPC).

Comentários