Adolfo foi preso após ficar quase um ano em aldeia.

O caso ocorreu no mês de setembro de 2017, quando índios da etnia Jaminawa do município de Assis Brasil, tentaram invadir a delegacia na tentativa de resgatar um dos seus parentes que havia sido preso por policiais militares, por se envolver em uma briga.

Plantonista teve que efetuar um tiro para cima e evitar invasão na delegacia.

A ação por pouco não terminou em tragédia quando o agente plantonista reagiu e efetuou disparo para cima dentro da delegacia acertando o forro, na tentativa de dispersar os parentes que queriam retirar o detido na força.

Devido a situação ficar tensa na cidade, foi necessário a transferência do preso para a cidade vizinha de Brasiléia, distante cerca de 110 km. Os acusados foram identificados e aos poucos foram chamados para responder pelo delito na época.

Nesse meio, alguns dos envolvidos fugiram para as aldeias que ficam muito distantes da cidade, achando que as autoridades na cidade iriam esquecer do fato e poderiam voltar como se nada tivesse acontecido.

Dois dos envolvidos, um menor, A.S.J. de 16 anos e Adolfo Martins da Silva Jaminawa (23), vulgo ‘Tchuam’, retornaram para cidade e foram reconhecidos pelos agentes da lei, que de posse do mandado de prisão, os conduziram até a delegacia.

O menor teria sido liberado ficando a disposição do MP e o maior ficou à disposição da Justiça, uma vez que havia um mandado de prisão em aberto e será transferido para o presídio FOC a qualquer momento.

Comentários