Prefeito citou ainda que além da Polícia Federal e Ministério Público, a prefeitura está sendo investigada há dias pelo Tribunal de Contas do Estado – TCE e a Controladoria Geral da União – CGU

Por Sandra Assunção

Ao lado de secretários municipais e três vereadores, o prefeito de Cruzeiro do Sul, Ilderlei Cordeiro, que tem a gestão investigada pela Polícia Federal, disse aos servidores municipais em praça pública nesta segunda feira, 17, que as prisões de sua irmã e outras cinco pessoas foram desnecessárias.

As prisões ocorreram na última sexta-feira, dia 14. Ilderlei subiu o tom e disse que o juiz Flávio Mariano Mundi “não conhece a realidade cruzeirense. Autorizou as prisões desnecessárias porque a juíza Adamarcia tinha autorizado as escutas e quebras de sigilos em abril do ano passado”, afirmou publicamente o prefeito.

O prefeito também reclamou algumas ações da Polícia Federal, que arrombou a porta da prefeitura. “Lá não tem bandido e tinha vigia, não precisava ter quebrado a fechadura. Vamos acionar esse agente na justiça”, afirmou.

Cordeiro ainda falou aos servidores, na praça central de Cruzeiro do Sul, sobre a convocação da reunião geral foi feita nesse domingo. Dos 14 vereadores de Cruzeiro do Sul, acompanharam o prefeito na reunião com os servidores o Presidente da Câmara Municipal , Clodoaldo Rodrigues ( PSDB), João Keleo e Leandro ( PP).

Cordeiro citou ainda que além da Polícia Federal e Ministério Público, a prefeitura está sendo investigada há dias pelo Tribunal de Contas do Estado – TCE e a Controladoria Geral da União – CGU. “Eu, Ilderlei Cordeiro, quero ser investigado também”, declarou ao final da reunião.

Comentários