Conecte-se conosco





Cotidiano

Ibama tem aval para concurso com 1,6 mil vagas para o Acre e demais estados

Publicado

em

O concurso Ibama é uma demanda por parte do Governo Federal, mas, enquanto não ocorre, uma nova seleção para temporários está autorizada.

assessoria

Com concurso Ibama previsto e demandas emergenciais no setor, o Ministério da Economia autorizou nesta terça-feira, 4, um novo processo seletivo para o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis.

O aval traz a possibilidade de preencher até 1.659 vagas para o atendimento de emergências ambientais. As oportunidades estão distribuídas pelos seguintes cargos:

alfabetizado: brigadista (1.305 vagas) e chefe de esquadrão (213);
nível médio: chefe de brigada (96);
nível superior: gerente estadual (40) e gerente federal (cinco).

Os requisitos citados acima tomam como base o último edital para temporários do Ibama. No entanto, essas informações serão confirmadas somente no edital.

Na última seleção, os aprovados para as funções de gerente/supervisor tiveram ganhos de R$4.180. O chefe de brigada, por sua vez, teve vencimento de R$2.090.

Já os ganhos para brigadista de prevenção foram de R$1.045, enquanto o chefe de esquadrão recebeu iniciais de R$1.567,50.

Conforme a portaria publicada nesta terça, 4, os profissionais poderão ser contratados já a partir deste mês. Desta forma, o edital pode ser publicado a qualquer momento pelo Ibama.

O prazo de validade dos contratos será de até seis meses, podendo prorrogar até o limite de dois anos.

Além dos salário básicos, os selecionados receberão auxílio-transporte e benefícios como auxílio-alimentação, auxílio pré-escolar (quando couber) e seguro acidente.

As inscrições foram recebidas pelo Ibama e os candidatos às vagas de níveis médio e alfabetizado foram avaliados por meio de análise curricular e Teste de Aptidão Física (TAF).

Os supervisores, de nível superior, tinham uma análise do currículo e também uma prova objetiva de conhecimentos específicos como etapas de avaliação.

Comentários

Em alta