O ruralista Francisco Silva foi condenado a oito anos de prisão em regime fechado após ser acusado de estuprar uma menina virgem de apenas 13 anos de idade, no Seringal Pindamonhangaba, na região de fronteira com a Bolívia. A informação foi repassada pelo Tribunal de Justiça do Acre (TJ-AC).

O homem, que ainda pode recorrer da decisão do Juízo da Vara Criminal da Comarca de Brasiléia, teria aproveitado da inocência da garota menor para abusar sexualmente dela. Segundo consta no processo, a menina ainda não havia tido desenvolvidos nem mesmo os seios, o que demonstrava a fragilidade dela ante a situação.

Para o magistrado que assina a decisão, Francisco agiu de forma “livre e consciente do caráter ilícito de sua conduta”, aproveitando-se da condição da vítima (menor impúbere), “cuja personalidade ainda estava em formação”. O crime teria ocorrido em setembro de 2015, mas somente agora saiu uma sentença condenatória.

Comentários