Homem acusado de matar pai da namorada e jogar corpo em rio é preso em Assis Brasil

Francisco foi preso casa e teria confessado o crime após discutir com o pai de sua namorada a tiros e jogado o corpo no rio.

Delegado pedirá ajuda aos Bombeiros para tentar localizar restos mortais quase duas semanas após ocorrido

Foi conduzido para a delegacia do município de Epitaciolândia nesta sexta-feira, dia 5, um homem identificado como Francisco Antonio de Lima Iumbo (27), vulgo ‘Chico’, que já tem passagem pela justiça por assalto, é acusado de ter matado o pai de sua namorada em uma localidade na zona rural do município de Assis Brasil, distante cerca de 330km da Capital.

Rosildo de Oliveira Silva foi morto a tiros. Autoridades e os familiares tentam encontrar o corpo.

Segundo foi levantado, Chico mora no ramal do km 88 da BR 317 (Estrada do Pacífico), com 17 km de carro traçado e mais duas e meia a pé por dentro da mata virgem até a casa do acusado na Colocação Princesa Isabel, além de passar pelo o Rio Xapuri. A operação que contou com a participação de agentes civis de Epitaciolândia e Assis Brasil e um bombeiro militar, teve início por volta das 8h30 e terminou às 18h00, quando chegaram na zona urbana.

Segundo o delegado Luís Tonini, que atualmente responde pelos municípios de Assis Brasil, Brasiléia e Epitaciolândia, Francisco foi denunciado pelos parentes da vítima, identificada como Rosildo de Oliveira Silva (55), que estaria desaparecido a cerca de 10 dias.

Policia tiveram dificuldades para chegar até a casa do acusado dentro da mata.

Após o caso chegar ao conhecimento das autoridades, a equipe foi até a casa de Francisco para averiguar os fatos. Com a chegada dos agentes, o mesmo confessou que teria matado Rosildo com cerca de seis tiros de rifle calibre 22. Após o assassinato, enrolou em um lençol e jogou o corpo do rio Xapuri.

O motivo, seria o relacionamento amoroso do acusado com a filha da vítima. Rosildo teria ido até a casa de Chico e a conversa descambou para ameaças mútuas. Sentindo-se ameaçado, resolveu se antecipar e foi até próximo ao rio e cercou a vítima, lhe acertando vários disparos até mata-lo.

Foi quando enrolou o corpo de Rosildo num lençol e jogou no rio, desaparecendo na correnteza. O crime somente foi descoberto graças a desconfiança dos familiares que sabiam da desavença entre os dois e fizeram a denuncia após o sumiço da vítima.

Francisco não esboçou reação quando os policiais chegaram em sua casa.

Chico não reagiu a abordagem dos policiais e foi conduzido para delegacia, onde está à disposição da Justiça e pode ser transferido para o presídio FOC a qualquer momento. O delegado irá solicitar que uma equipe dos Bombeiros possa se deslocar até o Rio Xapuri, afim de tentar encontrar os restos mortais da vítima, para que os familiares possam lhe proporcionar um enterro digno.

Delegado Luís Tonini está à frente do caso e irá encaminhar o acusado para o judiciário e irá pedir aos bombeiros ajuda para localizar o corpo.

 

Comentários