Sebastião Viana sabia de todo o processo mas deixou na gaveta até voltar - Foto: Arquivo
Governador Sebastião Viana sabia de todo o processo mas deixou na gaveta até voltar – Foto: Arquivo

Alexandre Lima

O governo do Acre, comandado pelo governador Sebastião Viana (PT), provavelmente vem colocando em prática o plano de retaliação contra os municípios do Alto Acre, principalmente os que o Partido perdeu nas eleições de 2010.

A retaliação é simples, o que puder fazer para atrapalhar, será feito nos próximos anos, com intenção de desarticular as prefeituras sem qualquer tipo de ajuda que possa oferecer, sem se preocupar com os munícipes, empresários, ruralistas, etc.

Segundo um de seus secretários, a regional do Alto Acre é ‘inimiga do governo’, principalmente Brasiléia, que perderam para o atual prefeito que é do PMDB, Everaldo Gomes. O trabalho começou pelos vereadores do partido que fazem qualquer coisa para prejudicar as atuais administrações, onde tem como meta, somente elogiar o governo ao invés buscar ajuda aos municípios que representam.

Como exemplo, algumas emendas federais que deveriam ser enviadas aos municípios, ficaram engavetadas até o último momento para que voltassem aos Ministérios que disponibilizaram investimentos que beneficiariam a população em educação, esporte e outros.

documentos ministério 2Desde 2012, quando Brasiléia sofreu a pior tragédia natural de sua história, a enchente do Rio Acre, o Ministério da Defesa disponibilizou através do Convênio 777091/2012, a quantia de R$ 800 mil reais para que fosse erguido a biblioteca municipal, no antigo prédio da extinta rádio 03 de Julho, que chegou a ser demolido, mas não passou daí. A gestão passada encaminhou para o Estado que engavetou até seu retorno à Brasília.

Segundo o portal de convênios – SICONV, os trâmites e vigência se deu a partir do mês e dezembro de 2012 até o março de 2014. O valor global seria de R$ 800 mil com a contrapartida de R$ 43 mil, mas nada foi registrado por parte do Estado, que está registrado com o CNPJ 63.606.479/0001-24 no Portal, sendo que o projeto não foi aprovado no final de 2013, por não terem protocolado a documentação em atenção às pendencias.

assinatura de tiaoMesmo com o dinheiro do convênio na conta por dois anos, a anulação aconteceu no início deste ano, no mês de Fevereiro e que sequer foi comunicado ao município de Brasiléia, que perderá a chance de ter uma biblioteca pública. Sem falar que esse tipo de ação demonstra que a educação e cultura não é prioridade para o Governo da Floresta, pois, precisam de incapazes para serem manipulados.

Também existe junto ao processo, um ofício (nº 098 de 29/11/2013) encaminhado pelo gabinete do senador petista, Jorge Viana, onde diz que uma proposta foi rejeitada, mas que não foi possível o acesso ao teor do mesmo. Se cogita num suposto pedido de anulação do projeto.

Terreno onde existia o prédio da extinta rádio 3 de Julho - Foto: Alexandre Lima
Terreno onde existia o prédio da extinta Rádio 3 de Julho que foi derrubado na gestão passada – Foto: Alexandre Lima

documentos ministério 1

Comentários