Concurso seria realizado no próximo domingo (22). Cancelamento foi anunciado pelo governador Gladson Cameli como uma das medidas de contenção da doença.

Governo cancela concurso da Educação com 9,2 mil inscritos para evitar avanço do coronavírus no AC — Foto: Alexandre lima.
Por G1 AC — Rio Branco

O governador do Estado do Acre, Gladson Cameli, anunciou o cancelamento do concurso da Secretaria de Educação, Cultura e Esportes (SEE) para a formação de cadastro de reserva para o cargo de professor temporário. As provas estavam marcadas para ocorrer no próximo domingo (22).

A medida foi anunciada pelo governador durante coletiva de imprensa na terça-feira (17). Além disso, foram suspensas as aulas da rede pública de ensino e proibidas as agendas que demandem grandes aglomerações. O pacote de medidas é para evitar o avanço do coronavírus.

O Estado decretou situação de emergência em todo o estado na terça (17). O anúncio ocorreu no mesmo dia em que a Secretaria de Estado de Saúde (Sesacre) confirmou os primeiros três casos da doença na capital, Rio Branco.

Os casos são de um homem de 30 anos e uma mulher de 50, que chegaram de São Paulo, e outra de 37 anos, que estava em Fortaleza. Após a confirmação em laboratório regional, o Estado aguarda a contraprova.

O processo seletivo tinha 9,2 mil candidatos inscritos. Os editais com as normativas do certame tinham sido publicados na edição do último dia 5 de fevereiro do Diário Oficial do Estado (DOU).

Os professores temporários aprovados no processo seletivo seriam convocados pela gestão estadual de acordo com a necessidade e iriam atuar nos projetos: Aprender é o Caminho, Educação Especial, Educação de Jovens e Adultos (EJA) e no ensino regular.

A reportagem organizou uma lista com as alterações informadas pelas instituições. Ela será atualizada sempre que uma nova mudança for divulgada.

Visitas em presídios suspensas

Para manter o controle dentro das unidades penitenciárias do estado, Cameli determinou que o Instituto de Administração Penitenciária do Estado e do Instituto Socioeducativo do Estado (Iapen-AC e ISE-AC) suspendessem as visitas sociais por 15 dias.

Para os advogados, o período de suspensão é de cinco dias, “salvo necessidades urgentes ou que envolvam prazos processuais não suspensos”.

As escoltas também seguem suspensas por 15 dias, mas com “exceção de requisições judiciais, inclusões emergenciais e daquelas que por sua natureza, precisam ser realizadas”, determina o decreto.

Sem eventos grandes

Os servidores da Saúde e Segurança também estão proibidos de tirar férias e licenças durante este período. Também ficam proibidos eventos com o público maior do que 100 pessoas. Já os eventos esportivos, se não forem suspensos, devem ocorrer sem a participação de público ou torcida.

As viagens de servidores também foram suspensas.

“Fica autorizada a realização de despesas, inclusive com dispensa de licitação, para a contratação de profissionais e pessoas jurídicas da área da saúde, aquisição de medicamentos, leitos de Unidades de Terapia Intensiva (UTI) e outros insumos, observadas as disposições legais aplicáveis”, estipula.

Pandemia

A Organização Mundial de Saúde (OMS) declarou na quarta (11) a pandemia de Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus (Sars-Cov-2).

Para o ministro da Saúde do Brasil, Luiz Henrique Mandetta, houve “demora da OMS” para fazer a declaração, já que o número de casos fora da China aumentou 13 vezes nas últimas duas semanas e o número de países afetados triplicou.

As secretarias estaduais de Saúde divulgaram, até as 6h50 desta quarta-feira (18), 350 casos confirmados de novo coronavírus (Sars-Cov-2) no Brasil em 17 estados e no Distrito Federal. O último balanço do Ministério da Saúde, divulgado na tarde de terça-feira (17), contabiliza 291 infectados.

Em São Paulo, foi registrada a 1ª morte pelo coronavírus no Brasil, confirmada na terça-feira (17) pelo governo estadual. A vítima é um homem de 62 anos que estava internado em um hospital particular da capital paulista. Ele tinha diabetes e hipertensão.

Comentários