A tendência é verificar o comportamento da epidemia nos próximos dias para decidir se a suspensão, que neste momento vale até o dia 10 de abril, vai continuar em vigor

Associação dos Municípios do Acre (AMAC) realiza uma videoconferência para ouvir as necessidades de cada prefeitura. Lembrando que o município onde há mais preocupação é Acrelândia, onde já existem 7 casos confirmados e onde a prefeitura já afirmou que faltam equipamentos de proteção individual.
Por Leônidas Badaró

Um dos pontos abordados na coletiva de imprensa do governador Gladson Cameli e da prefeita de Rio Branco Socorro Neri, foi a capacidade reduzida de atender pacientes que precisem de cuidados intensivos, caso o número de casos alcance a projeção de especialistas.

O governador afirmou que o Hospital Santa Juliana anunciou a liberação de seus 20 leitos Unidades de Tratamento Intensivo (UTI). “Estamos anunciando em primeira mão e já agradecendo a direção do hospital que disponibilizou os leitos de forma gratuita e nós vamos precisar apenas equipar”, afirmou.

Sobre os insumos e equipamentos, Socorro Neri lembrou que a dificuldade de aquisição é de todos os estados brasileiros. “A escassez de insumos e equipamentos estão caros e alguns não tem mais à pronta entrega. Por isso é ainda mais importante o isolamento social, para não corrermos o risco de não termos condições de atender todos que ficarem doentes com mais gravidade”, disse.

O governador afirmou que o Hospital Santa Juliana anunciou a liberação de seus 20 leitos Unidades de Tratamento Intensivo (UTI)

Questionados sobre as aulas, a tendência é verificar o comportamento da epidemia nos próximos dias para decidir se a suspensão, que neste momento vale até o dia 10 de abril, vai continuar em vigor. “Aulas devem avaliadas comportamento da epidemia se vai ou não voltar. No entanto, os dados e as preocupações dos nossos especialistas apontam que esse período sem aulas deve ser prorrogado”, diz Neri.

Em relação a ajuda os municípios, na tarde desta quarta-feira, a Associação dos Municípios do Acre (AMAC) realiza uma videoconferência para ouvir as necessidades de cada prefeitura. Lembrando que o município onde há mais preocupação é Acrelândia, onde já existem 7 casos confirmados e onde a prefeitura já afirmou que faltam equipamentos de proteção individual.

Comentários