fbpx
Conecte-se conosco

Cotidiano

Governo avalia incorporação de medicamentos já disponíveis na rede privada para tratamento de câncer de pele agressivo no SUS

Publicado

em

A Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias (CONITEC) abriu consulta pública para avaliar a incorporação de diversos medicamentos para tratar o melanoma, menos comum dos cânceres de pele, mas o mais severo devido ao alto risco de disseminação para outros órgãos.

___________________

Anualmente, o Brasil registra 6.260 novos casos da doença e 1.794 óbitos, segundo o Instituto Nacional de Câncer (INCA).

___________________

Especialistas defendem que o tema exige urgência, pois os pacientes do sistema público – cerca de 70% dos brasileiros – não têm acesso aos tratamentos mais eficientesi, já disponíveis na rede privada desde janeiro de 2018. Atualmente, a diretriz (DDT) que estabelece o tratamento sugerido pelo Sistema Único de Saúde (SUS) para melanoma metastático (quando o câncer se espalhou para outros órgãos) contempla apenas um quimioterápico-padrão que não apresenta resultados muito efetivosii.

O melanoma metastático é um tipo de câncer com alta frequência de mutações genéticas, a mais comum delas, que representa aproximadamente metade dos casos, ocorre em um gene chamado BRAFiii. Em estudo realizado com pacientes com melanoma metastático com presença de mutação BRAF utilizando terapia alvo combinada, a sobrevida global destes pacientes teve um aumento significativo, trazendo maior benefício a estes pacientesiv.

“Para os pacientes com mutação BRAF, as terapias-alvo são muito efetivas, apresentando aumento significativo no tempo e qualidade de vida. Se os planos de saúde já disponibilizam essas opções há praticamente dois anos, por que o paciente do SUS não teria o mesmo direito?”, pontua Dr. Antônio Carlos Buzaid, diretor geral do Centro Oncológico Antônio Ermírio de Morais da Beneficência Portuguesa (SP) e membro do comitê gestor do Centro Oncológico do Hospital Israelita Albert Einstein. Ainda que a decisão preliminar da CONITEC seja pela ‘não incorporação’ de medicamentos de terapia-alvo e imunoterapias, as contribuições da sociedade civil podem influenciar a recomendação final da instituição e garantir o acesso dos pacientes com melanoma metastático aos melhores tratamentos disponíveis.

Todo podem expressar sua opinião sobre a incorporação de terapias-alvo e imunoterapias para tratamento de pacientes com melanoma BRAF mutado no SUS. Na consulta pública, a opção DISCORDO da recomendação preliminar da CONITEC é a favor da incorporação de novas terapias no sistema público. Já a opção CONCORDO é favorável a não incorporação desses novos medicamentos.

As consultas públicas têm como objetivo promover a participação da sociedade nos processos de tomada de decisões do governo sobre políticas públicas de saúde. Esta consulta está aberta até 21 de janeiro de 2020.

Para o envio de contribuições, o interessado deve acessar o site http://conitec.gov.br/consultas-publicas, buscar a consulta sob o nome “Terapia-alvo (vemurafenibe, dabrafenibe, cobimetinibe, trametinibe) e imunoterapia (ipilimumabe, nivolumabe, pembrolizumabe) para o tratamento de primeira linha do melanoma avançado não-cirúrgico e metastático”, número 85 – e seguir as instruções.

Sobre a Novartis

A Novartis está reimaginando a medicina para melhorar e ampliar a vida das pessoas. Como empresa líder global em medicamentos, utilizamos ciência inovadora e tecnologias digitais para criar tratamentos transformadores em áreas de grande necessidade médica. Em nossa busca por novos medicamentos, estamos constantemente classificados entre as principais empresas do mundo que investem em pesquisa e desenvolvimento.

Os produtos da Novartis alcançam mais de 750 milhões de pessoas em todo o mundo e estamos encontrando maneiras inovadoras de expandir o acesso aos nossos tratamentos mais recentes. Cerca de 105 mil pessoas de mais de 140 nacionalidades trabalham na Novartis em todo o mundo. Saiba mais em http://www.novartis.com.

Comentários

Continue lendo

Cotidiano

Flamengo vence Grêmio com dois gols de Luiz Araújo e lidera o Brasileirão

Publicado

em

Gazeta Esportiva

O Flamengo mostrou força mesmo com vários desfalques e venceu por 2 a 1 o Grêmio, nesta quinta-feira, no Maracanã. Com o resultado, o Rubro-Negro carioca chegou aos 17 pontos e reassumiu a liderança do Campeonato Brasileiro. Já os gaúchos seguem com apenas seis, na 13ª colocação, mas com dois jogos a menos que as demais equipes.

O Flamengo abriu o placar no fim do primeiro tempo, com Luiz Araújo. O mesmo atacante ampliou o marcador para os rubro-negros na etapa final. Nos acréscimos, Edenílson diminuiu para o Grêmio.

Na próxima rodada, os comandados do técnico Tite viajam para enfrentar o Athletico-PR, em Curitiba, às 16 horas (de Brasília) deste domingo. No mesmo dia, o Grêmio encara o Botafogo, em Cariacica, às 18h30.

O jogo

O Flamengo tentou esboçar uma pressão no começo, mas viu o Grêmio conseguir avançar com qualidade. A primeira boa chance do duelo aconteceu aos 14 minutos, em cabeceio de Léo Ortiz para defesa de Rafael Cabral. Os visitantes responderam com JP Galvão, que tentou encobrir Rossi.

Os donos da casa sofreram com duas lesões em um curto espaço de tempo. Everton Cebolinha e Igor Jesus saíram para as entradas de Bruno Henrique e Luiz Araújo. No entanto, o Grêmio não aproveitou as mudanças e pecava nas finalizações. O Flamengo também pouco produzia no ataque.

Somente nos minutos finais o confronto ganhou em emoção. Aos 39 minutos, Luiz Araújo acertou a trave. Só que dois minutos depois, o mesmo atacante acertou mais um chute, desta vez na rede, sem chance para Rafael Cabral. Assim, os rubro-negros foram para o intervalo com a vantagem no placar.

No segundo tempo, o Grêmio tentou pressionar em busca do empate. No entanto, os gaúchos passaram a dar espaço para o Flamengo. Os rubro-negros chegaram a ter pênalti assinalado, mas anulado após o VAR chamar o árbitro.

Comentários

Continue lendo

Cotidiano

Forças policias em Xapuri levam segurança para 17 comunidades com policiamento rural

Publicado

em

2ª Companhia do 5º Batalhão da Polícia Militar (5ºBPM) que levam segurança para 17 comunidades por meio do patrulhamento rural nas áreas de floresta da princesinha do Acre.

Escola Estadual de Ensino Médio e Fundamental Belo Horizonte no km 16 do Ramal Simitumba, em Xapuri. Foto: Dhárcules Pinheiro/Sejusp

Para chegar na primeira localidade de visita do dia, na Escola Estadual de Ensino Médio e Fundamental Belo Horizonte, as forças do Policiamento Comunitário Rural de Xapuri percorreram 24 quilômetros pelo ramal Simitumba, na Sibéria.

O trecho cheio de subidas e descidas é a rotina diária dos policias da 2ª Companhia do 5º Batalhão da Polícia Militar (5ºBPM) que levam segurança para 17 comunidades por meio do patrulhamento rural nas áreas de floresta da princesinha do Acre.

A atividade realizada a cada dois dias em 17 comunidades rurais do município foi uma medida pioneira criada pelo batalhão, devido à extensa área agrária da cidade. A implementação do projeto iniciou com o reconhecimento da área, visando entender como funcionava os locais, já que a zona rural de Xapuri é formada pela Reserva Extrativista Chico Mendes e propriedades privadas com prática agropecuária. O município possui a maior porcentagem de área da Resex Chico Mendes do estado do Acre, com 32,2% da área total da Unidade de Conservação (UC).

O policiamento é realizado a cada dois dias em 17 comunidades rurais do município. Foto: Dhárcules Pinheiro/Sejusp

A escola Belo Horizonte, com 100 alunos matriculados, é uma das muitas escolas do município contempladas com o patrulhamento rural. Os alunos já familiarizados com os policias vibram com a chegada da viatura, recebendo com festa os militares. Sempre que vêm, há um momento de conversa com os alunos e professores no pequeno refeitório, onde os policiais sentam e ouvem com atenção as observações e relatos dos dias passados.

Momento de conversa no refeitório da escola Belo Horizonte. Foto: Dhárcules Pinheiro/Sejusp

Aluna da escola estadual há dose anos, Sabrina Conceição Padilha, atualmente cursando o 3º ano do ensino médio, afirma que a presença da polícia na escola faz com que todos os alunos da instituição se sintam seguros e inspirados. “É muito bom ter a polícia sempre aqui, dá mais segurança para a escola, além de fazer com que a gente veja a profissão com outros olhos, pois eles são os heróis da nossa realidade, e o que eles fazem nos inspira a ser como eles, e talvez um dia possamos ser os policiais da nossa comunidade”, disse a estudante, que também é moradora do ramal.

Estudante Sabrina Conceição Padilha. Foto: Dhárcules Pinheiro/Sejusp

Lecionando há dois anos na escola, a professora Francisca Cosma da Silva fala com entusiasmo da presença policial na escola: “Ano passado estávamos tendo muitos problemas por conta de um bar aqui perto, mas com as visitas diárias da Polícia Militar tudo mudou, a paz voltou e agora podemos ficar tranquilos, porque tem alguém por nós”.

Professora Francisca Cosma da Silva e seus alunos. Foto: Dhárcules Pinheiro/Sejusp

A escola não é a única visita do dia. A viatura segue caminho, agora com destino à comunidade Dois Irmãos, um local muito famoso por suas festas e por reunir em um único local escola, associação e muitas moradias. Chegando ao local, a moradora do ramal há 18 anos, dona Sueli Neri Bezerra, já espera com alegria e café na mesa a chegada do efetivo policial. Com um sorriso contagiante, dona Sueli conversa despreocupada com os policiais que parecem familiarizados com o local e com o papo da senhora de fala mansa e gentil. A moradora fala com alegria das mudanças do local após a implantação do policiamento rural.

Dona Sueli Neri Bezerra, moradora há 18 anos na comunidade Dois Irmãos. Foto: Dhárcules Pinheiro/Sejusp

“Rapaz, é muito bom ter a polícia aqui. A gente sente uma segurança a mais, porque não só aqui, mas em todos os lugares, a gente vê que quando a segurança está ausente as pessoas se sentem à vontade para se enveredar pelo caminho errado, tomam gosto de estar aprontando nas comunidades, mas com a presença da polícia se afastam, e esse foi o caso daqui”, destaca a moradora do km 60.

O primeiro-tenente do 5º BPM de Xapuri, Roberto Marcos Farias, explica que, além das visitas, o policiamento rural também realiza um trabalho repressivo com atuação nos ramais: “Paramos carros e motos e, com a ajuda do banco de dados do Sistema Apollo, fazemos o reconhecimento facial e a consulta de veículos”.

Primeiro tenente do 5º BPM de Xapuri, Roberto Marcos Farias, com os policiais do policiamento rural. Foto: Dhárcules Pinheiro/Sejusp

O Apollo não é a única ferramenta utilizada. Em parceria com o Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal do Acre (Idaf), a patrulha rural realiza consultas no banco dados do órgão florestal, onde é possível acessar as informações de 1500 propriedades cadastradas e georreferenciadas. “O aplicativo funciona offline, o que facilita a consulta de onde estiverem”, explica o comandante Roberto.

Ação no ramal principal da Sibéria. Foto: Dhárcules Pinheiro/Sejusp

Guardiões da Floresta

Por meio do policiamento comunitário rural também vai ser possível colocar em prática outro projeto, o Guardiões da Paz, que visa estabelecer um elo entre a polícia e a comunidade. Em Xapuri, o programa social vai levar o nome de Guardiões da Floresta.

Policiamento Rural também vai levar ações do Guardiões da Floresta. Foto: Dhárcules Pinheiro/Sejusp

O secretário de Estado de Justiça e Segurança Pública do Acre, coronel José Américo Gaia, destaca que levar segurança para áreas rurais é uma das prioridades da secretaria. “Visamos, com o patrulhamento rural, o Guardiões da Paz e muitos outros projetos garantir a segurança e o direito de ir e vir de todos os cidadãos acreanos e proporcionar às crianças e adolescentes uma educação que fortaleça o desenvolvimento da cidadania para aqueles que são o futuro do estado”.

Secretário de Justiça e Segurança Pública do Acre, coronel José Américo Gaia. Foto: Dharcules Pinheiro/Sejusp

O projeto da Polícia Militar tem o objetivo de proporcionar um ensino cívico e moral para crianças e adolescentes, levando cidadania com o incentivo e orientações para conhecerem e cantarem a letra correta do Hino Nacional Brasileiro, compreendendo o que estão recitando e sabendo o significado da letra. Além disso, também haverá momentos de descontração com atividades recreativas.

O patrulhamento do Guardiões da Floresta teve início no dia 10 de junho.

Comentários

Continue lendo

Cotidiano

Homem acusado de matar esposa se entrega à polícia após ameaça de facção criminosa

Publicado

em

Simey Menezes Costa se entregou à Polícia Civil na tarde desta quarta-feira (12), na Delegacia de Flagrantes (Defla), em Rio Branco. Ele é acusado de assassinar a própria esposa, Ketilly Soares de Souza, de 33 anos, encontrada morta no domingo (9) com múltiplas facadas no abdômen em sua residência no Polo Benfica, no Segundo Distrito da capital acreana.

Segundo relatos de amigos da família da vítima, Simey estava na região da Baixada da Sobral na manhã desta quarta-feira, próximo à casa de sua família, procurando por conhecidos para pedir dinheiro emprestado na tentativa de fugir de Rio Branco. Um amigo de Simey aconselhou-o a se entregar à Polícia Civil, alertando que a facção criminosa Comando Vermelho havia decretado sua morte.

A facção teria ameaçado decapitar Simey e entregar sua cabeça à família dele. Apavorado, Simey contou à mãe, que entrou em contato com um investigador envolvido no caso. O policial civil orientou Simey a se entregar na Delegacia de Flagrantes. Após se apresentar, o acusado foi ouvido e encaminhado para a Delegacia da Mulher (Deam), onde será elaborado o inquérito.

Informações fornecidas pela família de Ketilly revelam que a perícia determinou que Ketilly foi morta na noite de sábado (8), e não na manhã de domingo (9), como inicialmente divulgado. A vítima sofreu múltiplas facadas e teve as vísceras retiradas e colocadas sobre o abdômen.

O caso segue sob investigação da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).

Comentários

Continue lendo