O governador Gladson Cameli apresentou na tarde desta terça-feira, 25, ao ministro da Justiça, André Mendonça, um relatório detalhado sobre a criminalidade no Acre e as principais necessidades para criar um “bloqueio”, que evite o crescimento do mal no estado. No relatório, Gladson pede a atenção especial do Ministério da Justiça para a implantação do programa Em Frente Brasil, considerado ponto fundamental no combate ao crime organizado, entre outras ações essenciais.

Durante o encontro, foi entregue um relatório detalhado da criminalidade no estado e governador pediu atenção especial do governo federal à situação estratégica das fronteiras Foto: David Casseb.

Gladson Cameli foi acompanhado do senador Márcio Bittar, autor do pedido da reunião, da deputada federal Jéssica Sales e do representante do Acre em Brasília, Ricardo França. O governador agradeceu ao ministro o apoio que o governo federal vem dando ao Estado do Acre, especialmente na área de segurança pública.

Porém, o ministro ressaltou sua preocupação com o momento pós-pandemia, tendo em vista que, como ele mesmo explicou, “com a situação precária dos países fronteiriços, pode haver uma verdadeira ‘invasão’, a exemplo do que aconteceu com o Estado de Roraima”.

O programa Em Frente Brasil, inspirado em ações adotadas em Portugal, segundo Cameli, dará um suporte bastante acentuado a toda a estrutura de segurança do Estado, já que contará com investimentos iniciais de R$ 4 milhões para investimentos em segurança pública, além de equipamentos e um reforço de cem policiais da Força Nacional, que vão atuar junto com a Polícia Militar. Cameli solicitou a instalação do programa no Segundo Distrito da Capital, por ser a “porta de entrada” dos países vizinhos e do Estado de Rondônia.

O ministro André Mendonça garantiu que o pedido já está em análise no Ministério para as próximas instalações do programa. O Em Frente Brasil foi instalado este ano como piloto em cinco cidades com altos índices de criminalidade: Goiânia (GO), Ananindeua (PA), Cariacica (ES), Paulista (PE) e São José dos Pinhais (PR). Segundo ele, uma segunda fase já será lançada dentro de poucos dias e contemplará outras dez cidades brasileiras. “Temos uma preocupação especial com os estados de fronteira, e o Acre está recebendo nossa atenção especial” ressaltou Mendonça.

No documento entregue pelo governador ao ministro, constam ainda os pedidos para que seja realizado o repasse imediato ao estado dos recursos contingenciados do Fundo Nacional de Segurança, superiores a R$16 milhões, por decisão judicial de mérito do Supremo Tribunal Federal na ação civil ordinária nº 3.329/2019; a viabilização das medidas necessárias para que a União assuma o custeio integral dos presidiários condenados por narcotráfico, sob custódia do Estado; a viabilização de recursos junto ao Departamento Penitenciário Nacional para a construção de uma casa de custódia na cidade de Rio Branco; a viabilização dos contatos necessários para implantação urgente de duas unidades da Marinha no Acre, com aparato dos Fuzileiros Navais para otimizar o controle e a vigilância nas hidrovias no estado; e a adoção de medidas urgentes para que seja viabilizada a ampliação do efetivo da Polícia Federal no Estado.

Ao final da reunião, tanto o senador Márcio Bittar quanto o governador Gladson Cameli fizeram convite ao ministro para visitar o Acre e, em especial a área de fronteira, para verificar pessoalmente a realidade local. André Mendonça garantiu que ainda este ano cumprirá com satisfação essa agenda de visita.

Comentários