Após a aprovação do Marco Legal do Saneamento Básico, o governador diz que não quer mais arcar com a responsabilidade dos prefeitos.

João Renato Jácome

Os serviços de água e esgoto dos municípios acreanos, incluindo o de Rio Branco, atualmente administrados pelo Departamento de Água e Saneamento (Depasa), serão devolvidos às prefeituras a partir do dia 1º de janeiro. Desde a gestão de Raimundo Angelim, na capital, os serviços do Saerb são responsabilidade do governo estadual.

Após a aprovação do Marco Legal do Saneamento Básico, o governador diz que não quer mais arcar com a responsabilidade dos prefeitos. “Eu vou devolver tudo, independente de quem será o prefeito. Cada um deverá arcar com a sua responsabilidade. Vou devolver e o governo não vai mais arcar com isso”, comentou Cameli.

O Diário Oficial do Acre publicou nesta sexta-feira, dia 18, decreto governamental que declara situação de emergência na área da ETA II, em Rio Branco, onde problemas estruturais prejudicam o abastecimento de água da capital. O problema é antigo e tem sido corrigido de forma paliativa. A entrevista de Gladson foi à Rádio Aldeia FM.

“Com a chegada do período do inverno amazônico com o aumento considerado das chuvas sob um solo instável da região da capitação da ETA II, aumentará o processo erosivo e os danos nas estruturas já atingidas e consequentemente colapso total na capitação de água e danos para a população de Rio Branco que dependem em grande parte dos trabalhos de capitação”, explica o decreto.

Comentários