Outras mudanças importantes são a extinção da Secretaria de Polícia Civil, que volta para a Segurança Pública

Governador do Acre, Gladson Cameli – Foto: Alexandre Lima
 Leônidas Badaró

O Governador Gladson Cameli publicou na edição desta segunda-feira, 27, do Diário Oficial do Estado, as alterações propostas pela reforma administrativa aprovada na última semana pelos deputados estaduais.

As principais novidades são a criação de dez cargos de secretários adjuntos com remuneração de mais de 19 mil reais, os aumentos no número de diretores que passa de 40 para 60 (salário de R$ 16,230,00) e de chefes de departamento que salta de 88 para 120 cargos (remuneração de R$ 10.500,00).

Os famosos e disputados cargos em comissão, conhecidas como CEC’s, saltam de 900 para 1.350, com salários que variam de R$ 1.500 até 7.100 reais. Só com esse tipo de cargo comissionado, o governo acreano deve gastar mensalmente R$ 1.264.500,00 (um milhão duzentos e sessenta e quatro mil e quinhentos reais).

Outras mudanças importantes são a extinção da Secretaria de Polícia Civil, que volta para a Segurança Pública, a criação da Secretaria de Estado de Assistência Social, dos Direitos Humanos e de Políticas para as Mulheres (SEASDHM) e a volta da Secretaria de Articulação Institucional que retorna batizada de Secretaria de Estado de Relações Políticas e Institucionais – (SRP)

Outra mudança se dá em relação ao Instituto Dom Moacyr, que extinto na antiga reforma, volta com um novo nome e passa a se chamar Instituto Estadual de Educação Profissional e Tecnológica – IEPTEC.

Comentários