A liberação da primeira parcela para construção de uma nova maternidade em Rio Branco foi autorizada na manhã desta quarta-feira, 26, pelo ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, a pedido do governador Gladson Cameli. O governador, junto com o secretário de Estado da Saúde, Alysson Bestene, e o representante do Acre em Brasília, Ricardo França, se reuniu com o ministro e apresentou o projeto da construção, como sendo uma das obras prioritárias para o estado.

Governador Gladson Cameli apresentou ao ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, projeto da construção da nova maternidade de Rio Branco como uma das obras prioritárias para o estado Foto: Assessoria MS

Gladson Cameli fez questão de ressaltar a importância da construção da nova maternidade para o Acre por ser, inclusive, ponto de referência no atendimento a pacientes dos países vizinhos Bolívia e Peru. Além disso, Cameli também explicou que, até mesmo para a demanda interna, a estrutura existente já está defasada.

A única maternidade de Rio Branco, a Bárbara Heliodora, tem 71 anos. Ela foi inaugurada em 1949 pelo então governador Guiomard Santos. O nome da maternidade homenageia a primeira poetisa brasileira, Bárbara Heliodora Guilhermina da Silveira.

Ministro determinou que primeira parcela para o início da construção seja finalizada e liberada pela equipe técnica do ministério Foto: Assessoria MS.

O Ministro Eduardo Pazuello elogiou o projeto da nova maternidade e pediu autorização ao governador e ao secretário de Saúde para que o projeto sirva como modelo para as outras unidades da federação que necessitarem também construir suas maternidades. “Esse é um projeto esplêndido e, se possível, queremos torná-lo padrão pelo Ministério da Saúde”, frisou o ministro.

Marieta Cameli será o nome da nova maternidade de Rio Branco, em homenagem à avó do governador Gladson Cameli, falecida recentemente. A estrutura terá um total de 13.000 m² de área construída e terá 100 leitos comuns, 10 unidades de UTI, 60 unidades de UTI neonatal, 9 leitos de observação obstétrica, 3 leitos de observação ginecológica, 7 leitos para emergências, 6 leitos na sala de indução aos partos, 10 leitos de enfermaria e pós-operatório, 5 consultórios ambulatoriais, 5 consultórios de imagenologia, centro cirúrgico com 5 salas de cirurgia, 8 salas de partos humanizados no centro obstétrico, refeitório, lavanderia industrial, centro de esterilização, central de medicamentos e uma Casa da Mulher.

Planta da nova maternidade de Rio Branco foi uma doação ao Estado Foto: Assessoria MS

O ministro garantiu a liberação inicial de R$ 16 milhões para a obra que custará um total de R$ 60 milhões. “Tenho fé em Deus que até o final de minha gestão a qualidade de vida da população acreana terá um grande avanço, especialmente na área de saúde”, disse Gladson ao ministro.

 

Comentários