O governador Gladson Cameli participou na manhã desta terça-feira, 29, por videoconferência, do 21º Fórum de Governadores. Esta é a 2ª Reunião Ordinária da Assembleia-Geral de Governadores realizada em 2020, em que os gestores acompanham a evolução dos projetos prioritários e discutem pautas que sejam relevantes para o prosseguimento dos trabalhos do consórcio e do alcance de seus objetivos, traçados no planejamento estratégico.

Com a intenção de unir a iniciativa privada e representantes públicos em projetos conjuntos, iniciou-se em Macapá (AP) nesta segunda-feira, 28, o Fórum Regional de Logística e Infraestrutura Portuária, o Norte Export. Nesta terça, a Assembleia Geral do Consórcio Interestadual da Amazônia Legal, dentro da Norte Export, teve sua rodada da região do evento Brasil Export, que reúne investidores e autoridades sobre a pauta de logística e exportações.

Para o governador, superar os desafios de logística é uma prioridade dentro do desenvolvimento da Amazônia Legal Foto: Diego Gurgel/Secom

Além dos governadores, o evento contou com a presença de investidores, como a presidente do Programa Juntos pela Amazônia, recentemente lançado pela empresa JBS, com quem o consórcio estabelece um Memorando de Entendimento, com vistas a parcerias concretas que fortalecerão os projetos prioritários. O presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Gustavo Henrique Montezano, também teve destaque no evento.

Em sua fala, o governador Gladson Cameli destacou que a recuperação econômica é sua principal meta no período que sucede o auge da pandemia de Covid-19, focando na geração de empregos, principalmente em projetos de infraestrutura, como a recuperação das rodovias estaduais e os aeródromos dos municípios isolados.

O governador aproveitou para lembrar que nesse período de grande seca nas principais regiões florestais do país, tanto o Estado quanto a União vêm fazendo sua parte no combate às queimadas. Ele determinou estado de emergência para o combate às queimadas e também ressaltou conquistas, como a retirada da vacina contra febre aftosa em todo o estado.

“Temos que repensar a situação logística dos estados e as dificuldades que nós temos. Um exemplo é a fronteira entre Assis Brasil e o Peru, o exemplo dos nossos aeroportos, que estão com restrição de horários. E isso prejudica quem quer investir e vir pra cá. Além de preservar o meio ambiente, precisamos criar meios sustentáveis para criar emprego e renda para o nosso povo”, observou Gladson Cameli.

Destaque do Acre

Durante os dias anteriores do Fórum, o Zoneamento Ecológico-Econômico (ZEE) do Acre, que está na terceira fase de elaboração, foi pauta de duas importantes reuniões realizadas na última semana. Na terça, 23, foi destaque em um painel apresentado no 21º Fórum de Governadores da Amazônia Legal. Já na quinta, 24, durante a reunião ordinária da Comissão Estadual do Zoneamento Ecológico-Econômico (Cezzee), foram apresentados os resultados da elaboração do novo mapa de gestão territorial.

O ZEE é o principal instrumento de planejamento e gestão territorial do Estado e, de acordo com a diretora-executiva da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema), Vera Reis Brown, a elaboração do Mapa de Gestão Territorial do ZEE-AC Fase III tomou como referência a nova base fundiária e as informações socioeconômicas, incluindo a descrição detalhada de zonas, subzonas e unidades de manejo, inclusive contemplando o agronegócio.

Ao final do evento, o presidente do Consórcio Interestadual Amazônia Legal, o governador do Amapá, Waldez Góes, apresentou a leitura da carta do 21º Fórum de Governadores.

Comentários