fbpx
Conecte-se conosco

Cotidiano

Gestão de Gladson Cameli retoma obras paradas e investe R$ 120 milhões em infraestrutura

Publicado

em

A chegada do verão amazônico transformou o Acre em um grande canteiro de obras. Em todas as regiões do estado, o governo trabalha para a melhorar a vida da população. Somente na retomada de empreendimentos públicos iniciados na gestão passada e que estavam paralisados, o investimento por parte da administração de Gladson Cameli está na ordem de R$ 120 milhões.

Governo do Acre retoma obras iniciadas em gestões passadas, que estavam inacabadas. Investimento é de R$ 120 milhões. Foto: Jean Lima/Seinfra

Apenas na urbanização dos bairros Glória, João Eduardo, Pista, Placas, Ouricuri, Habitasa e Cadeia Velha, em Rio Branco, estão sendo aplicados mais de R$ 12 milhões. Nessas comunidades, o governo executa a construção de rede de esgoto, calçamento e meio-fio.

Nesta segunda-feira, 5, o governo do Estado retomou a obra do Museu dos Povos Acreanos. O investimento de R$ 3,5 milhões assegura o término da construção após mais de quatro anos desde o seu lançamento. Localizado em um antigo colégio particular, na região central de Rio Branco, o espaço de memória se destacará pela sua sustentabilidade e interação com o público.

Na saúde, governo evita retorno de recursos públicos e conclui obras iniciadas há uma década

Na área da saúde, o governo conseguiu evitar que R$ 7 milhões fossem devolvidos aos cofres da união para a reforma do Hospital Estadual João Câncio Fernandes, em Sena Madureira. Prezando pelo zelo com os recursos públicos e compromisso com a população do terceiro maior município acreano, a obra está prevista para ser concluída no próximo ano.

Recursos para as obras do Hospital João Câncio Fernandes estavam prestes a ser devolvidos. Após esforço da atual gestão estadual, obra foi iniciada após dois anos. Foto: Jean Lima/Seinfra

Já a última etapa do Pronto-Socorro da capital deve ser inaugurada até dezembro. O pavilhão que está sendo erguido abrigará a nova enfermaria da maior unidade hospitalar de urgência e emergência do estado. Ao todo, serão disponibilizados 116 leitos leitos clínicos, além de postos, salas de prescrição médica, isolamento com antecâmara e espaço para repouso.

A determinação do governador Gladson Cameli e sua equipe foi fundamental para a inauguração da verticalização do Pronto-Socorro. O prédio de cinco pavimentos estava em obras há uma década. O mesmo empenho também foi realizado na finalização do Instituto de Traumatologia e Ortopedia do Acre (Into-AC). Referência no tratamento de pacientes infectados pelo novo coronavírus, o pleno funcionamento dessas unidades está sendo crucial para salvaguardar vidas.

No Hospital Regional do Alto Acre, em Brasileia, as obras foram retomadas após dois anos de paralisação. Em fase de conclusão, os trabalhos concentram-se na instalação da rede de gases medicinais para atender os 32 leitos de unidades de terapia intensiva (UTIs) da maior estrutura de saúde pública do interior do Acre.

Hospital Regional do Alto está em fase final de obras. Foto: Marcos Vicentti/Secom

O Hospital Estadual Dr. Abel Pinheiro é outro exemplo de obra retomada na administração Cameli. O prédio passa por uma ampla reforma e ampliação do bloco B. Ao todo, o governo está investindo R$ 2,8 milhões, que garantirão mais estrutura e dignidade no atendimento aos pacientes de Mâncio Lima.

“Não podemos deixar que recursos públicos sejam desperdiçados”, diz Cameli

A administração de Gladson Cameli tem se mostrado habilidosa na recuperação de recursos públicos, que estavam prestes a ser devolvidos ao governo federal por não serem utilizados dentro dos prazos estipulados. No caso das obras não terminadas, o governador disse estar empenhado em concluí-las para que a população seja beneficiada.

Governador Gladson Cameli ressaltou compromisso com o erário público e a própria população ao concluir obras inacabadas deixadas por administrações passadas. Foto: Marcos Vicentti/Secom

“Essas obras não são da nossa gestão, mas são do Estado e não podemos deixar que recursos públicos sejam desperdiçados ou mal utilizados. Estamos trabalhando para corrigir essas falhas, que se arrastam há anos, e entregá-las de uma vez por todas ao nosso povo”, afirmou.

Segundo o secretário de Infraestrutura, Cirleudo Alencar, além do retorno das obras paralisadas, o governo se prepara para lançar um audacioso pacote de investimentos, que, além de beneficiar a população, contribuirá com o fortalecimento da economia.

Secretário Cirleudo Alencar confirmou pacote de obras do governo do Estado superior a R$ 500 milhões na área de infraestrutura. Foto: Marcos Vicentti/Secom

“Apesar de enfrentarmos uma pandemia, o governador faz questão de priorizar a retomada dessas obras e fortalecer a construção civil, colaborando com a geração de milhares de empregos. Grandes obras estruturantes ainda serão lançadas pelo governo. São mais de R$ 500 milhões em investimentos em todas as regiões do estado”, explicou.

Comentários

Cotidiano

Fluminense derrota a LDU e conquista a Recopa Sul-Americana

Publicado

em

Artilheiro Cano teve boas chances no primeiro tempo, mas não conseguiu abrir o placar – Foto: LUCAS MERÇON/FLUMINENSE FC

John Arias faz os dois gols que o Fluminense precisava para reverter a vantagem equatoriana e dá o título ao Tricolor

Por Jogada 10

Acabou o tabu! Na noite desta quinta-feira (29), o Fluminense derrotou a LDU por 2 a 0, no Maracanã, e conquistou a Recopa Sul-Americana. O herói da noite foi o atacante John Arias, que marcou os dois gols – um deles quando o Fluminense estava com 10 jogadores em campo – que o time precisava para reverter a vantagem dos equatorianos, que venceram o jogo de ida por 1 a 0.

Com o resultado, o Fluminense saboreia uma vingança contra o adversário. Em 2008 e em 2009 a LDU vencera do Tricolor as finais da Libertadores e da Copa Sul-Americana, respectivamente.

Fluminense cria pouco no primeiro tempo

Mesmo com o característico domínio territorial, o Fluminense não fez um primeiro tempo de grande inspiração. Rondou muito a área da LDU, mas, de fato, teve poucas oportunidades de sair na frente. Na primeira um pouco mais aguda, aos 10 minutos, Martinelli chutou em cima do goleiro após pegar sobra na área. Quatro minutos depois, Keno bateu cruzado e a bola tinha endereço certo, contudo, bateu em Árias, impedido na pequena área.

Acuada, a LDU ameaçou aos 17 minutos, quando Quiñonez bateu na barreira, pegou o rebote e a bola desviou na defesa, saindo para escanteio.

O domínio tricolor seguiu sem grande intensidade, mas rendeu oportunidades mais claras na parte final da etapa. Desse modo, Ganso cabeceou para fora após cruzamento de Árias aos 29. No minuto seguinte, afinal, uma grande oportunidade com Cano que, mesmo sem ângulo, bateu forte pelo lado esquerdo da área e obrigou Domínguez a rebater no susto.

Mas Cano teria outra chance, essa sim, claríssima, aos 39. E aí, desta vez, o artilheiro argentino decepcionou. Samuel Xavier cruzou e o atacante, livre na área, dominou e arrematou mascado, sem perigo para o goleiro equatoriano.

Nos últimos momentos da primeira etapa, jogadores e comissão técnica do Fluminense ficaram inconformados com os dois minutos de acréscimos concedidos pela arbitragem. O técnico Fernando Diniz invadiu o campo, discutiu com a arbitragem e com a comissão técnica adversária.

Segundo tempo histórico

A segunda etapa começou com um lance de perigo de cada lado. Pelo Flu, Martinelli lançou Kano e Domínguez se antecipou. Em seguida, Piovi ganhou dividida e avançou driblando Ganso e Thiago Santos. No momento da conclusão, entretanto, se desequilibrou e Fábio saiu para fazer a defesa.

A diferença de intensidade do Flu, contudo, tinha nome e sobrenome: John Kennedy. O atacante substituiu Felipe Melo e incomodou três vezes nos dez primeiros minutos. Aos 6, cabeceou para fora após cruzamento de Samuel Xavier. No minuto seguinte mandou uma bomba, que resvalou a rede pelo lado de fora. Com 10 minutos do segundo tempo, por fim, o jovem atacante deu nova cabeçada para fora.

Com 20 minutos da segunda etapa, o técnico Fernando Diniz colocou Marcelo, Renato Augusto e Douglas Costa em campo. Um minuto depois, após jogada de Douglas, Renato Augusto, na área, bateu com perigo sobre o gol equatoriano. Estes, por sinal, paravam o jogo tanto quanto conseguiam. Assim, a cera irritava cada vez mais o time do Fluminense.

Aos 29 minutos, Renato Augusto entrou driblando da esquerda e, da linha de fundo, cruzou forte para a área. A bola rebateu em Quintero e voltou nas mãos de Domínguez. A pressão, afinal, surtiu efeito aos 30. Samuel Xavier cruzou da direita e Árias acertou uma bela cabeçada: Fluminense 1 a 0.

A pressão tricolor aumentou, mas sofreu um baque logo em seguida. Aos 33 minutos, John Kennedy pisou em Zambrano em disputa de bola e foi expulso. Apesar da perda e de ter um homem a menos, o Fluminense voltou a pressionar.

O alívio veio aos 44. Após Renato Augusto sofrer pênalti, John Arias cobrou sem chances a Dominguez e fez o gol do título.

FLUMINENSE 2 X 0 LDU
Jogo de volta da final da Recopa Sul-Americana

Data: 29/02/2024, às 21h30 (de Brasília)
Local: Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)
Renda: R$ 5.897,327,50
Público: 61.217 presentes
FLUMINENSE: Fábio; Samuel Xavier (Guga, 39’/2°T), Thiago Santos, Felipe Melo (John Kennedy) e Diogo Barbosa (Marcelo, 20’/2°T); André, Martinelli e Ganso (Renato Augusto, 20’/2°T); Jhon Arias, Keno (Douglas Costa, 20’/2°T) e Germán Cano. Técnico: Fernando Diniz.
LDU: Alexander Domínguez; José Quintero, Ricardo Adé, Richard Mina, Leonel Quiñónez; Sebastián González (Alzulgaray, 36’/2°T), Óscar Zambrano (Estrada, 48’/ 2°T) e Piovi; Jefferson Valverde (Villamil, 48’/ 2°T), Luis Estupiñán (Jhojan Julio, 25’/2°T) e Jan Hurtado (Alex Arce, 25’/2°T). Técnico: Josep Alcácer
Gols: John Arias (30’/2°T e e 44’/2°T)
Árbitro: Facundo Tello (ARG)
Auxiliares: Ezequiel Brailovsky (ARG) e Gabriel Chade (ARG)
VAR: Mauro Vigiliano (ARG)
Cartões Amarelos: Quitero, Jhojan Julio (LDU); Thiago Santos (FLU)
Cartões Vermelhos: John Kennedy (33’/2°T); Samuel Xavier (no banco, 45’°T); Diogo Barbosa (no banco, 48’°2°T)

Comentários

Continue lendo

Cotidiano

Galvez vence o Real e garante classificação na Copa do Brasil

Publicado

em

Fotos: Jhon Lennon

Galvez derrotou o Real, de Roraima, por 2 a 0 na tarde desta quinta, 29, no Florestão, e garantiu uma vaga na segunda fase da Copa do Brasil Sub-17. Marcos e Ronan fizeram os gols da classificação do Imperador.

Jogo de superação

Os garotos do Galvez realizaram um jogo de superação desde o início. Marcos abriu o placar aos 7 minutos do primeiro tempo e Ronan, aos 23 do segundo, marcou o segundo.

“Foi uma grande vitória e conquistamos o nosso objetivo. Trabalhamos forte para garantir essa vaga”, afirmou o atacante Marcos.

Fotos: Jhon Lennon

Fala, Ico!

“Acredito na força do trabalho. A nossa diretoria, comissão técnica e atletas se uniram em busca dessa classificação e felizmente conseguimos. Vamos seguir o trabalho e tentar ir mais longe na competição”, afirmou o técnico do Galvez, Ico.

Amazonas na próxima fase

O Galvez terá o Amazonas como adversário da segunda fase da Copa do Brasil. O primeiro jogo vai ser disputado na quarta, dia 6, em Manaus e a partida de volta será dia 13, no Florestão.

Comentários

Continue lendo

Cotidiano

Wendell Barbosa define competições da temporada de 2024

Publicado

em

Wendell quer disputar o Campeonato Mundial em Abu Dhabi

Sem lutar um torneio há sete meses, o paratleta Wendell Barbosa (Óticas Novo Estilo), um dos melhores do Brasil, definiu os torneios da temporada de 2024.

“Vou disputar três competições. Começo no Rio Open em março e depois irei lutar o Europeu, em Londres, e fecharei o ano no Mundial, em Abu Dhabi. As competições foram definidas pela relevância e também pelos locais. São torneios onde fui campeão e quero voltar”, comentou o paratleta.

Início da preparação

Mesmo sem disputar torneios oficiais, Wendell Barbosa não parou os treinamentos. Contudo, o foco passa a ser mais específico com a confirmação do Rio Open.

“Vou para o Rio de Janeiro uma semana antes da competição para finalizar minha preparação. Estou bastante motivado”, afirmou Wendell.

Começa a avaliar

Wendell Barbosa começa a avaliar a possibilidade de deixar as competições oficiais ao fim da temporada 24.

“Tenho a minha empresa e isso pesa bastante. Outro ponto importante é a falta de apoio para o esporte acreano. Não temos políticas definidas no município e no Estado e isso dificulta ainda mãos”, explicou Wendell Barbosa.

Comentários

Continue lendo






Em alta