fbpx
Conecte-se conosco

Acre

‘Furacão destruiu casa que eu fiz para minha mãe’, diz haitiano no Acre

Publicado

em

Myke Dorismend pensa em trazer família para morar com ele em Rio Branco.
Furacão Matthew já matou mais de 840 pessoas no Haiti.

 G1
Myke Richardson Dorismend, 27 anos, mora há 1 ano e 6 meses em Rio Branco, capital do Acre (Foto: Quésia Melo/G1)

Myke Richardson Dorismend, 27 anos, mora há 1 ano e 6 meses em Rio Branco, capital do Acre (Foto: Quésia Melo/G1)

O haitiano Myke Richardson Dorismend, de 27 anos, conta que está passando por dias de terror, após saber que a família foi atingida pela passagem do furacão Mathew na cidade de Les Cayes, um dos locais mais devastados no Haiti. “O furacão destruiu a casa que eu fiz para minha mãe. Sonhei em dar essa casa para ela e agora ela perdeu tudo”, diz o haitiano.

Dorismend conta que conseguiu contato apenas com a irmã e a mãe, na quinta-feira (6), mas não tem informações dos outros três irmãos. Aflito, ele pensa em trazer a família para morar com ele em Rio Branco, capital do Acre.

“Para mim, se eles viessem seria melhor. Meu irmão é muito trabalhador e a gente poderia se ajudar. Antigamente, o Haiti era um lugar bom, nós tínhamos tudo, mas agora é um país devastado. Vim para o Acre pois não tinha como conseguir dinheiro lá. Aqui R$ 13 equivale a 56 gourde, que é a moeda de lá”, fala.

O haitiano diz que agora a prioridade é saber se os irmãos estão bem. “Estou muito preocupado, não posso dizer se eles estão bem ou não, não tenho notícias. Espero logo poder ouvir voz deles. O que sei é que a situação está muito ruim, preciso trabalhar para mandar dinheiro para que eles comprem comida. Todos perderam tudo. As casas foram tomadas pela água e tudo foi destruído”, lamenta.

Dorismend mora no Acre há um ano e seis meses. Durante esse tempo, ele conta que conseguiu emprego e faz pequenos serviços em uma papelaria no Centro de Rio Branco. O haitiano diz que quase todo dinheiro que recebe é enviado para os familiares que não possuem emprego no Haiti. Segundo ele, a passagem do furacão Mathew deixou um rastro de destruição no país e piorou a situação de sua família.

Furacão Matthew
A passagem do furacão Matthew deixou pelo menos 842 mortos no Haiti, segundo as autoridades locais ouvidas pela agência Reuters. Há milhares de casas destruídas e muitos bairros seguem inundados na península do sudoeste do país.

O furação é o mais forte a atingir o Caribe desde 2007, e foi justamente no Haiti que o Matthew causou mais destruição. O país, que é o mais pobre das Américas, foi devastado por um terremoto em 2010 e ainda não tinha se recuperado completamente.

O vento de cerca de 230 km/h derrubou árvores, barrancos e pontes, além de destruir milhares de casas. Militares brasileiros estão ajudando os moradores desde terça-feira (4), quando o olho do furacão atingiu o Haiti.

Abrigo chegou a ter 900 imigrantes e foi desativado em março deste ano (Foto: Iryá Rodrigues/G1)

Abrigo chegou a ter 900 imigrantes e foi desativado
em março deste ano (Foto: Iryá Rodrigues/G1)

Abrigo de imigrantes no Acre
O abrigo para imigrantes montado no Acre, que funcionava na Chácara Aliança, em Rio Branco desde 2014, foi fechado em março deste ano. Inicialmente os imigrantes eram abrigados em um outro abrigo que funcionava no município acreano de Brasiléia, distante 232 quilômetros, mas foi desativado e transferido para a capital acreana.

Rota de imigração
Imigrantes chegavam ao Acre diariamente através da fronteira do Peru com a cidade de Assis Brasil, distante 342 km da capital. A maioria dos que faziam essa rota eram imigrantes haitianos que, desde 2010, passaram a deixar a terra natal após um forte terremoto devastar o país e deixar mais de 300 mil mortos. De acordo com dados do governo do estado, entre 2010 e maio de 2015, mais de 38,5 mil imigrantes entraram no Brasil pelo Acre.

Os imigrantes chegam ao Brasil em busca de uma vida melhor e com a esperança de poder ajudar os familiares. Para chegar até o Acre, eles saiam, quase sempre, da capital haitiana, Porto Príncipe, e égavam um ônibus até Santo Domingo, na República Dominicana, localizada na mesma ilha. Lá, compravam uma passagem de avião e iam até o Panamá. Da cidade do Panamá, seguiam de avião ou de ônibus para Quito, no Equador.

Por terra, iam até a cidade fronteiriça peruana de Tumbes e passavam por Piura, Lima, Cusco e Puerto Maldonado até chegar a Iñapari, cidade que faz fronteira com Assis Brasil (AC), por onde passavam até chegar em Brasiléia.

Emissão de vistos
O Acre passou a deixar de ser a principal rota para entrada de imigrantes haitianos no país desde que o Brasil ampliou a emissão de vistos pelas embaixadas em Porto Príncipe (Haiti), Quito (Equador) e Lima (Peru). Em 2015, houve uma queda de 96% no número de haitianos ilegais que chegaram ao Brasil pelo estado.

Segundo o Itamaraty, em 28 de setembro de 2015 foi inaugurado em Porto Príncipe, em parceria entre a Embaixada do Brasil no Haiti e a Organização Mundial para a Imigração, um novo centro de atendimento para demandas de vistos de haitianos que querem ir ao Brasil.

Ainda segundo o órgão, em 2015, a média diária de vistos para haitianos foi de aproximadamente 78. As emissões de vistos tinham prazos estipulados e seguiam as resoluções normativas do Conselho Nacional de Imigração (CNIg).

Comentários

Continue lendo

Acre

Recorde de colisões entre veículos e postes no Acre apenas no primeiro semestre de 2024

Publicado

em

  O coordenador explica ainda que, em casos de acidentes que exigem a substituição dos postes, o serviço pode levar de quatro a oito horas no total, dependendo da localização, acessibilidade, tipo de poste e extensão dos danos aos equipamentos

Equipe de policiais deram suporte ao veiculo, que havia colidido com um poste, derrubando-o e rompendo vários fios de energia, empresa restabeleceu o fornecimento de energia bairro Leonardo Barbosa em Brasileia na época.

Os acidentes de trânsito têm impactado severamente a distribuição de energia elétrica no estado do Acre. Apenas em 2024, foram registrados 65 acidentes envolvendo postes de energia, afetando cerca de 14,3 mil clientes.

Os registros se referem apenas aos seis primeiros meses deste ano, totalizando 75 postes substituídos devido a acidentes. Esse número já representa um recorde histórico de ocorrências desse tipo no estado.

O coordenador da Energisa, Ruy de Albuquerque, explicou que os acidentes envolvendo postes podem representar risco à vida das pessoas e causar interrupção no serviço de energia elétrica. Além disso, esses incidentes podem afetar áreas essenciais e comprometer o fluxo de trânsito na região.

“Contamos com um Centro de Operação Integrado moderno que possibilita o monitoramento 24 horas por dia. Quando a situação permite, realizamos manobras telecomandadas de forma remota para restabelecer a energia elétrica com segurança e agilidade”, explicou o coordenador sobre os procedimentos adotados para retomar o serviço após acidentes envolvendo postes de energia.

O coordenador explicou que, em casos de acidentes que exigem a substituição dos postes, o serviço pode levar de quatro a oito horas no total, dependendo da localização, acessibilidade, tipo de poste e extensão dos danos aos equipamentos. Além disso, cada intervenção desse tipo pode custar aproximadamente R$10 mil.

Os municípios de Xapuri (150%), Capixaba (200%) e Epitaciolândia (200%) lideram o ranking de aumento nas ocorrências. Jordão, Marechal Thaumaturgo e Manoel Urbano zeraram a estatística dessa natureza

A empresa de distribuição de energia elétrica no estado do Acre alerta que em casos de avistamento de postes caídos ou fios partidos, é crucial manter distância para garantir a segurança pessoal.

É recomendado comunicar imediatamente através dos canais de atendimento adequados, como o aplicativo Energisa On, WhatsApp (gisa.energisa.com.br), agência virtual (energisa.com.br) ou pelo call center (0800 647 7196).

Comentários

Continue lendo

Acre

Banca organizadora divulga locais de prova do concurso público do Detran

Publicado

em

Com realização prevista para o próximo domingo, 28, o concurso público do Departamento Estadual de Trânsito do Acre (Detran/AC) já tem os locais de realização das provas disponíveis para consulta pelos candidatos.

Para realizar a pesquisa, basta acessar o site do Instituto AOCP, empresa realizadora do certame, e baixar o cartão de informações do candidato.

Este é o segundo concurso público da história do Departamento Estadual de Trânsito (Detran), e disponibiliza 91 vagas divididas em 8 cargos efetivos de nível superior, com distribuição em 10 cidades acreanas.

O concurso público vai ofertar 91 vagas efetivas. Foto: Kelvisson Monteiro/Detran

Vale lembrar que a prova objetiva para os cargos de assistente de trânsito, analista de sistema, contador, pedagogo e engenheiro civil será realizada no período da manhã. A abertura dos portões será às 7h15 (horário local) e o fechamento às 8h (horário local).

Já a prova objetiva para os cargos de agente de autoridade de trânsito, analista de trânsito e examinador de trânsito será realizada no período da tarde. A abertura dos portões ocorrerá às 13h15 (horário local) e o fechamento às 14h (horário local).

Para realizar a prova, o candidato deve levar caneta esferográfica de tinta azul ou preta, fabricada em material transparente, além de um documento oficial de identificação com foto (original e físico) e o Cartão de Informação do Candidato.

Examinador de Trânsito é um dos 8 cargos a serem preenchidos pelo concurso público. Foto: Renato Beiruth

O concurso

Anunciado em 2023 pelo governador Gladson Cameli, o edital do concurso público do Detran foi publicado em abril deste ano e prevê o preenchimento de vagas para os cargos de agente, examinador, assistente e analista de trânsito, pedagogo, engenheiro, contador e analista de sistemas.

A jornada de trabalho é de 40 horas semanais e os salários variam de R$ 7.015,70 a R$ 9.561,76, somados vencimentos, gratificações e outros benefícios.

Comentários

Continue lendo

Acre

Cinco acidentes de trânsito em apenas três dias deixam um saldo trágico, resultando na perda de uma vida em Cobija

Publicado

em

Preocupação crescente em Cobija, aumento de acidentes com motocicletas ligados ao consumo de Álcool vem preocupando as autoridades em todo departamento

O diretor de Trânsito do Pando, Julio Méndez, relatou que durante o fim de semana foram registrados 5 acidentes de trânsito na cidade de Cobija, onde uma pessoa perdeu a vida. Foto: montagem 

Com TVU/Pando

O diretor de Trânsito do Departamento de Pando/Cobija/Bolívia, Julio Méndez, relatou em coletiva de imprensa nesta segunda-feira (22) que, durante o fim de semana, foram registrados cinco acidentes de trânsito na cidade de Cobija, resultando na trágica perda de uma vida.

Na coletiva de imprensa realizada nesta segunda-feira, a autoridade policial de Pando alertou que os acidentes envolvendo motocicletas têm sido principalmente atribuídos ao consumo descontrolado de bebidas alcoólicas. O aumento desses incidentes está gerando preocupação entre as autoridades locais, especialmente na capital do departamento de Pando, Cobija.

Há também preocupação com veículos de quatro rodas, como uma camionete com placa brasileira (QWN8154), conduzida por um boliviano, que estava transitando pela avenida 27 de Maio. O veículo se envolveu em uma colisão que impactou o lado esquerdo, levando à perda de controle do motorista e resultando na colisão com um poste de iluminação pública.

O condutor da caminhonete foi detido e posteriormente levado nesta segunda-feira sob custódia, onde teve sua carteira de habilitação suspensa de acordo com as leis de trânsito da Bolívia. Ele poderá ser responsabilizado pelos danos causados ao patrimônio público, segundo as leis de transito da Bolívia.

Camionete com placa brasileira. conduzida por um boliviano, transitava pela avenida 27 de Maio quando se envolveu em uma colisão, o acidente afetou o lado esquerdo do veículo. Foto capturada

Já na última sexta-feira, 19 de julho, agentes policiais foram acionados imediatamente após um incidente reportado por transeuntes na região da avenida 27 de maio. Infelizmente, a resposta rápida não foi suficiente para evitar a trágica fatalidade que enlutou familiares e amigos do militar boliviano Juan de Dios M. Mamani, que servia no exército no Departamento de Pando. As autoridades locais estão investigando minuciosamente as circunstâncias precisas que levaram ao acidente.

O condutor foi detido e posteriormente levado sob custódia, onde teve sua carteira de habilitação suspensa conforme as leis de trânsito da Bolívia. Foto: capturada 

Veja vídeos

Imagens de câmeras de segurança particular capturaram o momento em que uma mulher, cujo nome não foi divulgado, perdeu o controle de sua motocicleta e colidiu com um poste de energia no canteiro central da Avenida Nazaria, em Cobija. O acidente ocorreu às 6 horas da manhã do último sábado, 20 de julho.

Um homem que estava transportando uma criança menor de idade na garupa de uma motocicleta se envolveu em um acidente de trânsito no bairro Paraíso. Segundo relatos dos moradores locais, o motorista estava alcoolizado.

A criança sofreu as lesões mais graves, incluindo uma lesão no rosto, e foi socorrida pelos residentes, que impediram o homem responsável pelo acidente de levá-la imediatamente do local. Posteriormente, ela foi encaminhada ao hospital para receber cuidados médicos.

Comentários

Continue lendo