Funcionários dos Correios no Acre entram em greve no próximo dia 18, alegando que tiveram 70 direitos revogados, como 30% do adicional de risco, vale-alimentação e auxílio-creche. A categoria no Acre segue decisão nacional.

De acordo com a Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresas de Correios e Telégrafos e Similares (Fentect) os trabalhadores ainda lutam contra a privatização alardeada pelo Governo Bolsonaro e a cúpula dos Correios como prioridade.

“A partir dessa meta, o governo vem promovendo o sucateamento e fechamento das agências, promovendo demissões para facilitar a privatização”, diz a Federação.

“A direção dos Correios recorreu de decisão do Tribunal Superior do Trabalho e suspendeu os direitos previstos na sentença para os empregados dos Correios. Devido isso, os trabalhadores decidiram por uma greve a partir de 17 de agosto. Aqui começa dia 18”, confirmou Suzy Cristiny, do sindicato acreano dos servidores dos Correios.

“Hoje os trabalhadores dos Correios respondem por parte importante da movimentação da economia nacional, com o crescimento vertiginoso do e-commerce e pela prestação de um serviço essencial, nos rincões do país, aonde empresas de logística não atuam. A categoria ainda denuncia o descaso e negligência da empresa com a vida de trabalhadores e clientes. Sindicatos e Federação têm travado uma luta judicial para garantir equipamentos, sabonete, álcool em gel, desinfecção de agências, testagem de trabalhadores e afastamento de grupos de risco, que coabitam com grupos de risco ou que possuem filhos em idade escolar”, diz a Fentect.

Comentários