Dinheiro foi achado com foragido da Justiça no bairro Aviário, em Rio Branco — Foto: Polícia Civil do Acre
Com jornais de Rio Branco

Um foragido da Justiça foi capturado na tarde desta quinta-feira (30), com mais de R$ 36 mil em dinheiro escondido dentro do carro.

Uma investigação dos Agentes de Polícia Civil da Delegacia de Combate a Roubos e Extorsões (DCORE) resultou na prisão do líder de alta periculosidade da organização criminosa Comando Vermelho, Lídio Paiva.

Com ele, foi apreendido um carro de luxo e uma quantia de R$ 36 mil em espécie. A prisão ocorreu na manhã desta quinta-feira (30). Ele estava dentro do veículo, um carro avaliado em R$ 70 mil, quando foi pego nas proximidades de um supermercado no bairro Aviário, em Rio Branco.

De acordo com a polícia, o membro da facção já estava sendo investigado e monitorado há meses, e hoje foi cumprindo o mandado de prisão em desfavor do faccionário pelo crime de um roubo qualificado ocorrido no ano de 2015. As investigações também apontam que o preso, além de ser uma liderança do CV, ostentava bens de valores elevados, obtidos provavelmente com o dinheiro do crime.

___________________

Líder do CV é preso em carro de luxo com R$ 36 mil em espécie. A DCORE está atenta e agindo fortemente contra as organizações criminosas atuantes no Estado do Acre.”, enfatizou o delegado.

___________________

Policiais da Delegacia Especial de Combate a Roubos Extorsões (Dcore) cumpriram um mandado de prisão contra o homem e acharam a droga quando pararam o veículo, no bairro Aviário, em Rio Branco.

Segundo a polícia, o homem foi condenado a mais de nove anos por um roubo praticado em 2015.

O acusado é investigado também por fazer parte de uma organização criminosa.

O delegado responsável pela ação, Leonardo Santa Bárbara, explicou que o suspeito já tem uma condenação também por tráfico de drogas. No momento da abordagem, o homem alegou que iria pagar uma conta em uma loja de eletrodomésticos da cidade e comprar roupas.

“Vamos investigar de que atividade é resultado. Falou que ia pagar uma conta na Gazin, mas a conta não dava R$ 800 e iria comprar roupa para revender, mas não tinha nenhuma roupa dentro do carro, não sabia dizer onde tinha uma loja para comprar. Não deu uma explicação plausível”, acrescentou.

Comentários