Tendo o agronegócio como carro-chefe do seu plano de governo, o governador Gladson Cameli (Progressistas) voltou à imprensa nacional neste mês de novembro, de forma negativa. O jornal Folha de S. Paulo publicou uma matéria ligando a política de desenvolvimento de Cameli com o aumento do desmatamento na Amazônia acreana em 2019. Foram 55% com relação ao ano anterior em que o estado era comandado pelo petista Tião Viana.

A reportagem assinada pelo jornalista Fabiano Maisonnave traz uma declaração do pesquisador da Universidade Federal do Acre, Foster Brown. “O aumento no Acre foi esperado, dados os focos de calor e o contexto político”.

A Folha reproduziu, ainda, uma declaração do governador Gladson Cameli, que em maio deste ano, em uma reunião com produtores rurais, orientou-os a não pagar multas aplicadas pelo Instituto de Meio Ambiente do Acre (Imac).

“Se o Imac estiver multando alguém, me avisa. Me avisem e não paguem nenhuma multa, porque quem está mandando agora sou eu”, disse Cameli.

As declarações teve repercussão negativa na imprensa nacional e entre os ambientalistas.

Comentários