FIEAC se reúne com empresários acreanos, peruanos e bolivianos para criação de porto seco na fronteira

Um grupo empresarial composto por pessoas de Epitaciolândia e Brasileia, com a participação de representantes da Bolívia e do Peru esteve reunido ontem com presidente da Federação das In- dústrias do Acre, empresário José Adriano, para tratar de um projeto de instalação de um porto seco na região da Fronteira.

A ideia é estabelecer um posto triagem para facilitar o envio e recebimento de mercadorias no comércio com os países andinos, especialmente o Peru e a Bolívia, incentivando e promovendo a integração Regional e incentivando os negócios. O presidente pôs a FIEAC à disposição dos empresários e destacou que para que será preciso um estudo pormenorizado e atento da questão.

A Federação das Indústrias prometeu o apoio necessário e o incentivo para que a ideia possa ser concretizada. O presidente José Adriano considerou a proposta muito viável e disse que estudos mais aprofundados precisam ser realizados e que a entidade estará pronta a dar o subsídio necessário, caso os empresários necessitem.

Participaram da reunião o Presidente da FIEAC, José Adriano, Assurbanipal Mesquita – Assessor de Relações Institucionais, o Representante de Puerto Maldonado, Fred Bocansol, Inês de Melo, Presidente da Associação Comercial de Brasiléia, Ernani Negreiros, Diretor SEICT, Francimar, Assessor de Relações Internacionais do governo do Acree, Helen Kelma, Gerente do Escritório Regional do Baixo Acre do Sebrae no Acre e Mozani Mariano – Assessor da FIEAC.

José Adriano ressaltou que é importante que o trabalho seja realizado de forma minuciosa, pois se trata de uma empreitada multinacional e que terá reflexos importantes no comércio entre os países.

O presidente também disse que o Acre, nos últimos anos, tem perdido tempo e que é preciso uma ação rápida para recuperar a iniciativa desse comércio multilateral aproveitado a oportunidade que se abre.

Nos últimos dois anos, a FIEAC vem incentivando a cultura da exportação e importação junto ao empresariado acreano. Adriano considera esse um caminho viável para o desenvolvimento dos negócios, especial- mente a indústria no estado.

A agenda do presidente também se estendeu à cidade no lado boliviano, onde iria se encontrar com a vice-governadora para tratar dos assuntos relatados, além de conhecer a Zona Franca do estado de Pando, que tem com capital, a cidade de Cobija.

 

Comentários