Conecte-se conosco





Cotidiano

Família de professora acreana que morreu em SP realiza bazar e feijoada para pagar diárias de hospital

Família de professora que morreu de Covid 5 dias após perder irmão para doença faz bazar para pagar dívida em hospital
Professora Eliete Maia, de 42 anos, morreu no dia 13 deste mês após uma longa luta contra a Covid-19.

Publicado

em

Família de professora que morreu de Covid 5 dias após perder irmão para doença faz bazar para pagar dívida de R$ 200 mil em hospital – Foto: Arquivo pessoal

A família da professora Eliete Maia, de 42 anos, que morreu no dia 13 deste mêsapós uma longa luta contra a Covid-19, está fazendo um bazar beneficente para arrecadar dinheiro e pagar a dívida de mais de R$ 200 mil que ficou no hospital após a morte de Eliete.

O bazar ocorre neste domingo (18), na Paróquia santa Cruz, localizada na Rua Raimundo Irineu Serra, Loteamento Novo Horizonte, em Rio Branco, das 9h às 15h. O bazar acontecerá a partir das 9h e feijoada a partir das 10h, o quilo custará R$25,00.

A professora morreu cinco dias depois de o irmão, o tenente da reserva remunerada Sebastião Maia de Andrade, também falecer vítima da doença. A família diz que as perdas não têm sido fáceis.

Em junho, a família chegou a fazer uma campanha para arrecadar dinheiro e transferir Eliete para São Paulo por UTI aérea. A sobrinha dela, Patrícia de Andrade Bomfim, diz que os primeiros sintomas apareceram no dia 21 de maio, mas ela só conseguiu fazer o teste na farmácia no dia 26. No dia 30 de maio foi internada e quando foi intubada já estava com 90% do pulmão comprometido.

“Começou com uma tosse, dor na garganta, na cabeça e no corpo, tentou fazer o teste e não conseguiu, só depois de 7 dias. Testou positivo, começou a fazer acompanhamento, fez tomografia que mostrou comprometimento no pulmão. O médico passou a medicação, mas a falta de ar não melhorou. Procurou o Into e já ficou internada, saturando muito baixo 85, 87.”

PM e Educação lamentam

Em nota, assinada pelo coronel Paulo Cesar Gomes da Silva, comandante-geral da Polícia Militar, a PM lamentou a morte da professora, que era irmã de uma policial, a major Eliana.

“Na última sexta-feira (9), a major Eliana também perdeu o irmão, o tenente da Reserva Remunerada Sebastião Maia de Andrade, tenente S. Andrade, como era conhecido na caserna. À família enlutada prestamos as mais sinceras condolências pela perda de seu ente querido e rogamos a Deus que possa confortar-lhes neste momento de imensa tristeza e dor.”

A Secretaria de Estado de Educação, Cultura e Esporte (SEE) também lamentou a morte de Eliete, que era coordenadora de ensino na Escola Estadual Elozira dos Santos Thomé e foi também gestora da Escola João Mariano.

“À família enlutada, colegas e ex colegas de trabalho e amigos, as mais sinceras condolências pela perda inestimável. Pedimos a Deus que conceda o devido conforto neste momento de comoção e dor”, diz a nota assinada pela secretária, Socorro Neri.

Comentários

Em alta