“Não podemos causar medo nas pessoas”, defendeu Jonas Lima

oosicaoviolenciaDa ContilNet

Os deputados estaduais da oposição, Ghelen Diniz (PP), Eliane Sinhasique (PMDB) e Luiz Gonzaga (PSDB) criticaram duramente a onda de violência que atingiu Rio Branco nas últimas 72 horas. Os deputados afirmam que o momento de crise se deve as falhas da administração petista que não tomou medidas preventivas e permitiu que o Acre caísse nas mãos de facções criminosas.

Eliane Sinhasique foi enfática em dizer que há muito tempo se tem informações de que supostas facções criminosas atuam dentro do presídio de Rio Branco, ordenando assaltos e latrocínios na capital, mas mesmo assim nenhuma providência foi tomada.

“Não é de hoje que se fala nestas facções criminosas como PCC, Comando Vermelho e Bonde dos 13, que atuam dentro do presídio, mas nada foi feito a respeito. Na entrevista coletiva que o secretário Emylson Farias concedeu ontem ele teve a coragem de dizer que não interessa o nome das facções e, sim, as lideranças. Numa horas dessas tudo interessa, pois trata-se da segurança de todos”, declarou.

Ghelen Diniz afirmou que o crime está tomando conta de Rio Branco e lamentou que o governo do Acre não tenha tomado providências antes para resolver a questão.

O líder do PSDB na Aleac, deputado Luiz Gonzaga, afirmou que a violência é resultado de um governo mal administrado. Ele afirmou que o crime é um reflexo da falta de oportunidades para os jovens.

“Estamos sentindo na pele o resultado de 17 anos de governo da Frente Popular do Acre. É um Estado onde falta oportunidades para aqueles que querem trabalhar e, infelizmente, alguns acabam enveredando pelo mundo do crime”, afirmou.

O deputado petista Jonas Lima se encarregou de fazer a defesa do governo e afirmou que a oposição exagera e causa pânico na população. “Segurança pública é coisa séria e não pode ser tratada assim. Não podemos causar medo nas pessoas”, afirmou.

A respeito da onda de violência que atingiu o Acre vale ressaltar que nas últimas 72 horas 14 veículos foram incendiados e uma delegacia e escola atacada por criminosos na capital. Em 3 cidades do interior foram registrados atentados contra ônibus e escolas.

Comentários