Órgãos de Meio Ambiente do Estado se preparam o período de queimadas (Foto: Arquivo/Secom)

A evolução das queimadas no Acre vem ganhando destaque pelo considerável aumento de focos entre 2016 e 2017. A friagem dos últimos dias é sinal de verão forte, com baixa umidade, algo que facilita as queimadas rurais e urbanas. Em 2014, foram 17 registros; em 2015, 25; já em 2016 o número subiu para 69.

Neste ano, até o dia 20 de junho, foram 31 focos – quase metade de todas as ocorrências do ano passado. Entre os Estados da Amazônia Legal, o Amapá tem o menor número de casos. Segundo as informações do Inpe, foram nove neste ano. Já o Mato Grosso lidera o ranking. Ano passado, o Estado registrou pouco mais de 6,2 mil casos. Já, neste ano, foram 4,5 mil.

Em fevereiro, o Ministério do Meio Ambiente definiu um calendário de emergência contra queimadas. No caso do Acre, a data estabelecida foi entre maio e dezembro de 2017. Também estão neste período Tocantins e parte dos estados do Amazonas, Maranhão, Mato Grosso e Pará. A ideia foi preparar localidades específicas para os diversos períodos deste tipo de ocorrência a fim de que possam ser definidas estratégias, como, por exemplo, a contratação de brigadistas.

Fonte: ac24horas.com

Comentários