“Eu gosto de estar na rua”. Essa é característica do novo comandante da Polícia Militar do Acre, coronel Marcos Kinpara, empossado durante solenidade na manhã desta quinta-feira, 18, na frente da sede da instituição, no Centro de Rio Branco. Ele assume o cargo no lugar do coronel Júlio César, que vai para a reserva.

Kinpara tem um enorme desafio pela frente. Em um contexto de violência crescente, número de homicídios absurdos (já são mais de 30 nos primeiros dias de janeiro), ele sabe que a Polícia Militar do Acre, embora qualificada e uma das mais honestas do Brasil, precisa de condições de trabalho, equipamentos, tecnologia.

“Eu sei que um policial só trabalha se ele tiver condições. Eu tenho que dar essas condições pra eles. Tenho que ouvir eles primeiro. Uma das minhas primeiras atitudes é visitar as unidades e conversar com os policiais para entender e fazer um diagnóstico de como que está a nossa Polícia Militar.”

O oficial fala em trabalhar na rua e ao mesmo tempo buscar recursos por meio de convênios para a instituição.

“A minha característica é de estar mais na rua, visitando as pessoas, os chefes de poderes à procura de convênios, trabalhar juntos a favor da Polícia Militar. Meu estilo é na rua, eu gosto de estar na rua. É claro que em alguns momentos a gente tem que estar no gabinete, mas meu estilo é sair da cadeira e realmente procurar recursos pra Polícia Militar.”

O primeiro projeto de Kinpara é a implantação de policiamento de motocicletas, que conta no momento com 20 motos.

“Nós já temos 20 motocicletas e vamos chegar a mais 90 motocicletas. Vai ser um grupamento, uma companhia independente de motocicletas.”

Coronel Kinpara já atuou nas Forças de Paz da Organização das Nações Unidas (ONU). Ele comandou tropas em missões no Sudão do Sul, na África, há três anos. O oficial está há mais de 20 anos na Polícia Militar do Acre.

Por Luciano Tavares

Comentários