O enterro de Adriel da Silva, de 20 anos, morto durante um confronto com o Batalhão de Operações Especiais (Bope), na noite de segunda-feira (10), foi marcado com uma salva de tiros e fogos de artifícios.

Em um vídeo, que viralizou nas redes sociais, membros da organização criminosa na qual Silva participava aparecem com armas de fogo atirando diversas vezes para cima.

As imagens foram gravadas no Cemitério Jardim da Saudade, que fica na Parte Alta de Rio Branco, esta semana durante o enterro na tarde de quinta (13).

Na sexta-feira (14), o Jornal do Acre 1ª Edição exibiu as imagens. No vídeo aparecem parentes, familiares e amigos de Silva. Há também entre o grupo crianças, mulheres e idosos. Além dos tiros, é possível ouvir também fogos de artifícios.

À Rede Amazônica Acre, o comandante da Polícia Militar do Acre (PM-AC), coronel Ulysses Araújo, disse que tem conhecimento do caso e prometeu uma resposta ao ato criminoso.

“Aquilo não vai mais acontecer, aconteceu, mas não vai mais. Vamos dar uma resposta. Quem tem salva de tiros é herói e ali não tinha herói, tinha bandido”, afirmou.

Confronto

Adriel da Silva e pelo menos mais três pessoas estavam reunidos em uma casa no bairro, quando foram cercados por uma guarnição do Bope. Dois deles reagiram, o que resultou na ação da polícia.

“Eles não chegaram a entregar o que era, mas se estavam armados e faziam parte de organização criminosa, com certeza ou iam atentar contra a vida de outros faccionados, ou praticar assaltos”, explicou.

Adriel da Silva, de 20 anos, morreu na noite de segunda-feira (10), em Rio Branco — Foto: Arquivo da família

O major disse que a ação da polícia foi legítima e que ocorreu por causa da resistência dos homens a ordem de parada da guarnição.

“Houve denúncia de que uma organização criminosa estava se arquitetando para cometer crimes e as guarnições do Bope fizeram um cerco e foram confrontadas por dois cidadãos infratores que foram atingidos e um veio a óbito”, informou o subcomandante do 2º Batalhão da Polícia Militar, major Edvan Rogério.

Outras duas mulheres foram presas durante a ação da polícia e o homem que foi atingido também foi preso. Com o grupo ainda foram apreendidas duas armas de fogo.

Comentários