Enfermeira ficou caída na rua sem que o motoqueiro prestasse ajuda após o acidente - Foto: Alexandre Lima
Enfermeira ficou caída na rua sem que o motoqueiro prestasse ajuda após o acidente – Foto: Alexandre Lima

Alexandre Lima

Era por volta das 17h30 deste domingo, dia 5, a enfermeira Roselane Jeronimo Barbosa (31), tentava atravessar a rua 12 de Outubro localizada no Bairro Raimundo Chaar, quando sofreu um atropelamento ocasionado por uma moto que trafegava rumo centro da cidade de Brasiléia.

Segundo foi apurado no local, Roselane tentou atravessar a rua em frente à sua residência e foi surpreendida por um motoqueiro que estaria em velocidade acima do normal. Assustada, teria tentado voltar mas não deu tempo e foi atingida de cheio.

A enfermeira foi jogada no meio fio enquanto o motoqueiro que estava numa moto de cor vermelha, fugiu sem prestar socorro. Roselane recebeu ajuda de terceiros enquanto aguardava a chegada da ambulância com socorristas do Corpo de Bombeiros e Samu.

IMG_7271

Aparentemente, a vítima não apresentava ferimentos ou fraturas, mas ficou em estado de choque e somente no hospital, poderiam dar algum diagnostico sobre seu estado de saúde, onde ficou em observação.

Policiais militares e agentes de trânsito coletaram informações sobre a moto e os números da placa anotado por testemunhas, para tentar chegar ao motoqueiro que atropelou a enfermeira. Segundo o Código Penal Brasileiro, fugir sem prestar socorro, é considerado pena grave segundo o Artigo 305: Afastar-se o condutor do veículo do local do acidente, para fugir à responsabilidade penal ou civil que lhe possa ser atribuída: Penas – detenção, de seis meses a um ano, ou multa.

IMG_7293

Comentários