Por José Pinheiro

Não há dúvidas que o Acre tem se tornado um corredor permanente para o tráfico de drogas. Ousados, os traficantes têm utilizados cada vez mais os rios para entrarem no Brasil. Na madrugada desta sexta-feira, 28, agentes do Grupo Especial de Fronteira (GEFRON) e da Companhia de Operações Especiais(COE), do 6º BPM, de Cruzeiro do Sul apreenderam 215 quilos de cocaína, que estavam em uma canoa no rio Juruá.

A embarcação foi interceptada nas proximidades da comunidade Nova Cintra, zona rural de Rodrigues Alves. O tenente coronel Evandro Bezerra da Silva, comandante do 6º BPM, disse que após receber informações do serviço de inteligência da corporação, foi organizada a operação que confirmou a presença de narcotraficantes na região. Ainda de acordo com ele, a droga era transportada em um canoa de médio porte, que navegava sem nenhum tipo de iluminação, tática usada pelos criminosos para tentar passar pela fiscalização.

A droga foi encaminhada para a Delegacia de Polícia na cidade. Dois suspeitos que estavam na embarcação pularam na água e entraram na densa floresta as margens do rio, onde desapareceram.

O comandante do GEFRON no Acre, coronel Belisário Souza Filho, disse que a apreensão é o resultado do trabalho de patrulhamento na região de fronteira, que vai continuar sendo monitorada principalmente nas áreas usadas como rotas pelos narcotraficantes.

Mas, se a droga vem por via fluvial, ela entra também por via terrestre, pelas rodovias. Foi o que aconteceu na tarde de ontem, 27. Um trabalho de inteligência da Polícia Federal em Epitaciolândia prendeu um motociclista de 21 anos que transportava 12 quilos de cocaína. O flagrante aconteceu próximo ao posto da Polícia Rodoviária Federal (PRF) na BR-317.

O rapaz foi encaminhado à Delegacia da Polícia Federal de Epitaciolândia e foi autuado pelo crime de tráfico de drogas. Ele pode pegar até 15 anos de cadeia, caso seja condenado à pena máxima.

Comentários