Eleitores que não fizeram biometria devem respeitar a mesma data.
Prazo serve para emissão de novos títulos e transferência no Acre.

Eleitores que não fizeram biometria devem respeitar o mesmo prazo (Foto: Reprodução/TV Mirante)
Eleitores que não fizeram biometria devem respeitar
o mesmo prazo (Foto: Reprodução/TV Mirante)

G1/Ac

Os eleitores que ainda estão em débito com a Justiça Eleitoral tem o prazo até esta quarta-feira (7) para regularizar a situação. O prazo serve para a emissão de novos títulos e transferência do domicílio. No dia 7 também é o último prazo, para os 28 mil eleitores de Rio Branco que não fizeram o recadastramento biométrico.

Segundo o diretor do Tribunal Regional Eleitoral do Acre (TRE-AC), Carlos Venícius, os cartórios de Rio Branco estão lotados.

“A procura começou a aumentar a partir de sexta-feira [2]. O eleitor deixa sempre para a última hora, e isso implica em filas enormes. Isso é ruim para o próprio eleitor que acaba perdendo mais tempo para regularizar a sua situação”, explica.

Os jovens que completam 16 anos até 5 de outubro, data do primeiro turno, e que desejam emitir o título, também têm até o dia 7. Quem já possui 18 anos e vai tirar o título, sendo do sexo masculino, deve apresentar o comprovante de quitação com o serviço militar.

Aqueles que pretendem regularizar alguma pendência, devem procurar o cartório eleitoral onde estão inscritos, com RG e comprovante de endereço. Em caso de transferência, o eleitor deve procurar o cartório que corresponda ao seu domicílio eleitoral, levar identidade e comprovante de residência mínima de três meses.

A resolução do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) n° 23.390/2013 que trata do calendário das eleições de 2014 no Brasil, prevê o fechamento do cadastro eleitoral no dia 7 de maio. Após esta data, somente a emissão de segunda via permanece disponível, até 25 de setembro.

O atendimento será feito no Fórum Eleitoral de Rio Branco (em frente à Justiça Federal, na BR-364) e na central de atendimento na Central de Serviço Público (OCA), no Centro da capital.

Comentários