Dentre os presos estavam dois candidatos, segundo o presidente do TRE.
Das mais de 1.600 urnas utilizadas, somente 11 precisaram ser trocadas.

G1

Presidente do TRE-AC, desembargador Adair Longuini, faz balanço das eleições no Acre (Foto: Priscilla Andrade/Arquivo Pessoal)
Presidente do TRE-AC, desembargador Adair Longuini, faz balanço das eleições no Acre (Foto: Priscilla Andrade/Arquivo Pessoal)

Pelo menos 12 pessoas foram presas no Acre suspeitas de crimes eleitorais como boca de urna, corrupção e propaganda, de acordo com balanço parcial do Tribunal Regional Eleitoral do Acre (TRE-AC). Dois candidatos estão entre apreendidos. Ao todo, foram apontados 36 ocorrências durante a votação deste domingo (5). (Confira a apuração completa do estado)

Das mais de 1.600 urnas utilizadas durante o pleito, somente 11 foram precisaram ser substituídas devido a problemas no teclado e horários errados no visor da máquina. Para o presidente do TRE-AC, desembargador Adair Longuini, foi uma eleição tranquila. “Só tenho a agradecer ao trabalho dos mesários”, falou em coletiva concedida na noite deste domingo.

Segundo o desembargador Samuel Evangelista, corregedor do TRE, a única preocupação é com os dados de um local de difícil acesso no município de Assis Brasil, distante 342 km de Rio Branco. A urna utilizada na seção descarregou e está sendo transportada para um lugar que possa ser recarregada para que os dados sejam enviados. “No mais, ocorreu tudo normalmente”, afirmou.

Sobre casos de duplicidade de títulos, detectados em 22 eleitores acreanos, o presidente do TRE-AC acredita que houve um equívoco do mesário. Ele afirma que o caso será investigado. “Pela biometria não é para ter falha. A urna eletrônica é segura, com a biometria fica ainda mais”, diz Longuini.

Os desembarcadores apontaram Rio Branco como o município com o maior atraso no término da votação, prevista para às 19h, duas horas após o fechamento dos portões. Em relação à demora na votação em algumas seções eleitorais, Longuini minimiza. “É a nossa primeira experiência, tanto para o TRE, quanto para os mesários. Vamos melhorar”, garante.

Em relação à reclamação de alguns eleitores da capital, que alegam que tiveram o voto para senador anulado, o presidente diz que é impossível. “Se digitar corretamente o número do candidato, ele vai aparecer”, fala.

Comentários