IMG_7591

O movimento nas estradas aumenta com o feriado prolongado do carnaval. Os motoristas podem ficar de olho nas rodovias federais e ajudar o DNIT a monitorar e melhorar as condições das vias usando o aplicativo DNIT Móvel. Em menos de dois meses e com mais de 40 mil downloads pelo sistema Android, o aplicativo já mostra resultados nos reparos das estradas federais.

Por meio do aplicativo DNIT Móvel e da ajuda dos usuários, as rodovias federais estão sendo reparadas de maneira mais rápida e eficiente. Segundo levantamento feito pela autarquia, até a primeira semana de fevereiro, mais de duas mil notificações chegaram ao Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte (DNIT). “Todos os chamados que foram devidamente identificados pelas equipes locais foram solucionados ou estão em fase de resolução”, relata o Diretor Geral do DNIT (interino), Adailton Dias. Um ponto a ser destacado é o custo do programa, que foi de apenas R$ 20 mil, além de ter sido desenvolvido internamente: “Utilizamos a estrutura da Casa”, acrescenta.

dnit tabelaO carnaval, destaca Adailton, é a oportunidade dos brasileiros ajudarem o DNIT a preservar a malha rodoviária e, em consequência, contribuir para a sua segurança. O uso DNIT Móvel é ferramenta importante de cidadania e colaboração com o governo, já que por meio dele o motorista indica os problemas encontrados nas estradas, como buracos e falta de sinalização. Em menos de dois meses de lançamento, o programa teve mais de 40 mil downloads na versão Android e no sistema operacional IOS.

PRINCIPAIS OCORRÊNCIAS

O aplicativo elenca os nove principais problemas que o usuário poderá encontrar nas rodovias, como defeito em ponte e obra paralisada. Essas questões são apresentadas por meio de ícones de fácil compreensão e, num mesmo registro, podem ser informadas até cinco ocorrências diferentes. No levantamento divulgado pelo DNIT, a ocorrência mais acionada é a de “buraco na pista”, com 861 chamados, e, em seguida vem “animais na pista”, com 409.

“Na primeira notificação, a empresa supervisora e o chefe de engenharia responsáveis pelo trecho são comunicados”, garante o ouvidor do DNIT, Rafael Vidal de Abreu. Ele salienta que, para isso, as informações têm que estar completas, com a marcação do local, fotos e descrição do problema encontrado. “Com todas essas informações, poderemos agir de maneira mais rápida”, acrescenta Vidal.

Com Assessoria

Comentários