O aumento na tarifa de energia do consumidor acreano de 21,29% previsto para amanhã, dia 13, deixou a população indignada e a clientela tem feito muitos questionamentos do porquê desse aumento exorbitante. Buscando uma resposta plausível para o aumento excessivo, o deputado estadual Jenilson Leite (PCdoB) utilizou a tribuna da Casa para expor seu descontentamento referente ao assunto, além de convidar o diretor-presidente da Energisa no Acre, José Adriano de Souza Mendes, para ir à ALEAC explicar os motivos que levaram o grupo que adquiriu a Eletrobrás a tomar esta decisão.

O deputado também convidou os sindicalistas e à sociedade de um modo geral para ir ao parlamento ouvir as explicações do gestor, bem como fazer as contestações necessária. O aumento do preço na taxa de energia ocorrerá três dias após o Grupo Energisa assumir o controle da Eletrobras Distribuição Acre (antiga Eletroacre), tendo sido adquirida no leilão do BNDS no valor de 50 mil reais.

No discurso, o parlamentar lembrou que o aumento exorbitante requer uma explicação, por isso do convite ao diretor da nova empresa, uma vez que quando a Eletrobras era pública existia uma forma de diálogo, agora é outra. “ O consumidor acreano merece uma explicação das razões deste aumento, porque quando tínhamos uma empresa pública existia uma forma de diálogo. Com a privatização dar-se de outra maneira, dessa forma, estamos convidando o gestor da Energisa a vir a esta Casa explicar as razões deste aumento a nós deputados, sindicalistas e à população de um modo geral”. Ainda no seu discurso, o deputado disse que o aumento de mais de 20% é inaceitável.

O reajuste na conta do consumidor foi autorizado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) alegando escassez de chuva, contudo, a maioria do Estado do Acre não está ligado ao Sistema Interligado Nacional, que faz o uso da energia das Hidrelétricas.

Com a privatização da distribuidora de energia do Acre, o preço da tarifa deve continuar crescendo, além do risco da demissão dos servidores da estatal. Com relação as demissões, tramita na ALEAC uma PEC que prevê o reaproveitamento de funcionários de empresas que tenham sido vendidas para a iniciativa privada na administração pública estadual.

A audiência pública com o diretor-presidente da Energisa no estado está marcada para a próxima terça-feira (18).

Comentários