Conecte-se conosco





Geral

Deputados discutem situação da Emater e propõem realização de audiência pública

Publicado

em

O assunto que dominou todo o debate na Assembleia Legislativa do Acre nesta quarta-feira (9) foi a produção rural, sobretudo a atual situação da Emater/Acre. Os parlamentares discutiram a falta de uma política de assistência técnica de atendimento aos agricultores familiares.

O líder do governo, deputado Pedro Longo (PV) sugeriu a realização de uma audiência pública para debater sobre as necessidades que a empresa enfrenta neste momento. Longo disse que o senador Marcio Bittar pode ajudar neste diálogo destinando recursos para o próximo ano para o orçamento da empresa de assistência técnica.

A fala de Pedro Longo foi apoiada pelo deputado Edvaldo Magalhães (PCdoB) no tocante à realização da audiência pública com o diretor-presidente da Emater, mas discordou do modo abordado por Longo sobre as saídas dadas para o problema.

“O Márcio Bittar arrumou um amigo dele para botar na Secretaria, sem plano nenhum. Largaram a assistência técnica sem nenhum programa, sem nenhuma política. Recolheram as máquinas e não botaram nada no lugar. Já estamos no terceiro ano e não tem um programa. Nem a semente da melancia estão distribuindo. Só tenho uma concordância com o líder do governo: está na hora de uma audiência pública. Fiquei literalmente embasbacado de ver o contorcionismo para explicar o inexplicável”, disse Magalhães.

Já o deputado Cadmiel Bonfim (PSDB) disse que o governador Gladson Cameli (PP) tem feito um esforço para reativar empresas que estavam sendo desativadas, como é o caso da Emater. Ele lembrou que é necessário sim uma “oxigenação” da área de assistência técnica. “Eu fico pensando assim que quando o governo Gladson assumiu, a Emater estava praticamente extinta e o governo Gladson vem tentado reativar. Com certeza o governo Gladson tem se esforçado pra isso. Precisa realmente dar uma oxigenada no pessoal, contratar pessoas ovas, mas precisa ser rápido que a experiência desses técnicos antigos possam ser repassadas para estes técnicos novos”.

Comentários

Em alta