PL foi apresentado em junho para forçar o poder público a retomar as atividades religiosas

O plenário da Assembleia Legislativa do Acre (Aleac) derrubou por 15 votos a um o veto do governador Gladson Cameli ao projeto de lei da deputada Juliana Rodrigues (Republicanos) que estabelece igrejas e templos de qualquer culto como atividades essenciais em tempos de calamidade pública. Com isso, a proposta vira lei.

O projeto foi apresentado em junho, no auge da pandemia de coronavírus, para forçar o poder público a retomar as atividades religiosas paralisadas desde o dia 17 de março, com a confirmação dos primeiros casos da covid-19.

Na época, a proposta foi aprovada por unanimidade na Aleac, mas o governo resolveu vetar, acatando as recomendações biossanitárias e dos ministérios públicos locais.

Dos deputados presente à sessão nesta terça-feira (25), apenas o petista Daniel Zen foi contrário à derrubada do veto por entender que não havia mais necessidade de se debruçar sobre o assunto, uma vez que as igrejas já estão abertas desde que o Acre saiu da fase de Alerta (laranja) para Atenção (amarela).

Comentários