GDINIZO deputado Gilberto Diniz (PTdoB) criticou na sessão desta quinta-feira, 14, o posicionamento dos deputados que compõem a base governista na Assembleia Legislativa do Estado do Acre. O descontentamento do parlamentar se deu após o requerimento do deputado Chagas Romão (PMDB) que pede a redução no prazo do interstício para apreciação da PEC das Emendas Impositivas ter sido rejeitado na sessão da última quarta-feira, 12. O requerimento foi retirado da pauta de votação e gerou protesto por parte dos parlamentares.

Gilberto Diniz criticou ainda a rejeição dos parlamentares governistas diante do requerimento nº 68/2013, de autoria do deputado Major Rocha (PSDB), que solicitava informações sobre os planos de voo e da caderneta individual do helicóptero João Donato.

De acordo com o oposicionista, o requerimento endereçado ao secretário de Segurança Pública do Acre, Reni Graebner, foi protocolado pelo deputado Major Rocha após denúncias de que o helicóptero do Estado teria servido de “táxi de luxo” para convidados do governador Sebastião Viana durante o Festival Yawa, da etnia Yawanawá, no Rio Gregório, município de Tarauacá. Para o deputado os parlamentares da base governista passaram dos limites ao votar contra os dois requerimentos da oposição.

“Nós, parlamentares, precisamos nos informar para podermos prestar um bom trabalho para a população acreana. Ontem os parlamentares da base governista passaram dos limites ao rejeitarem os dois requerimentos da oposição. Eu não vejo nada demais em pedir explicações ao governo sobre determinados assuntos como o helicóptero, por exemplo, que, segundo informações, estaria servindo de táxi de luxo para convidados do governador. São essas coisas que precisamos saber, não é crime nenhum pedir que o governo se explique”, disse.(Assessoria)

Comentários