A goleada foi a maior já sofrida pelo Flamengo na história das Libertadores, superando uma derrota por 5 a 1 diante do Grêmio na fase semifinal do torneio de 1983.

Diego Freire, da CNN, em São Paulo

Atual campeão do Brasileiro e da Libertadores, o Flamengo sofreu um revés histórico na noite de quinta-feira (17): pela terceira rodada do Grupo A do principal torneio sul-americano, o clube rubro-negro foi derrotado por 5 a 0 pelo equatoriano Independiente Del Valle, jogando no Estádio Casa Blanca, em Quito.

O placar foi construído com um gol de Moises Caicedo no primeiro tempo e quatro gols na segunda etapa: de Angelo Preciado, Gabriel Torres, Jhon Sánchez e Beder Caicedo.

A goleada foi a maior já sofrida pelo Flamengo na história das Libertadores, superando uma derrota por 5 a 1 diante do Grêmio na fase semifinal do torneio de 1983.

A equipe carioca ainda iguala a pior derrota de um time brasileiro para um estrangeiro no torneio – repetindo o revés de 5 a 0 do Athletico-PR diante do colombiano América de Cali em 2002.

Com diferença menor no placar, mas levando o mesmo número de gols, outros dois brasileiros já foram goleados sofrendo cinco gols na competição: isso ocorreu em Real Potosí-BOL 5×1 Cruzeiro (2008) e The Strongest-BOL 5×1 Juventude (2000).

Em jogos entre si, clubes brasileiros já haviam sofrido cinco gols outras vezes, como nos casos de Santos 0x5 Flamengo (1984), Grêmio 5×0 Palmeiras (1995), Palmeiras 5×1 Grêmio (1995) e Flamengo 5×0 Grêmio (2019).

Sem envolver brasileiros, a maior goleada da história da Libertadores aconteceu na edição de 1970, quando o uruguaio Peñarol venceu o Valencia, da Venezuela, por 11 a 2.

Embora ainda esteja em suas primeiras rodadas, a edição de 2020 já registrou uma goleada maior que a sofrida pelo Flamengo do técnico Domenec Torrent: ainda antes da paralisação pela pandemia do novo coronavírus, o River Plate derrotou o Binacional, do Peru, por 8 a 0, em partida válida pelo mesmo grupo do São Paulo na competição.

Comentários