O principal problema verificado na investigação, foi a falta de qualidade no serviço o aumento abusivo do preço

Para Jenilson Leite (PSB), a Energisa fez um pedido especial a Aneel para que pudesse fazer um novo reajuste. “A agência não concedeu e fizeram foi diminuir de 21% para 18%”, destacou.
SAIMO MARTINS

Um relatório com mais de 65 páginas, produzido pela Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investiga a Energisa, foi apresentado na manhã desta quinta-feira (12), na sala de reuniões da Assembleia Legislativa do Acre (Aleac) com as principais averiguações constatadas na investigação.

Seguindo o presidente da comissão, Daniel Zen (PT) tais irregularidades detectadas deverão ser encaminhadas aos órgãos competentes.

O principal problema verificado na investigação, foi a falta de qualidade no serviço o aumento abusivo do preço. “Se aumento não fosse abusivo, a Aneel não teria reduzido a tarifa de energia”, explicou Zen.

Para Jenilson Leite (PSB), a Energisa fez um pedido especial a Aneel para que pudesse fazer um novo reajuste. “A agência não concedeu e fizeram foi diminuir de 21% para 18%”, destacou.

O relator da comissão, Cadmiel Bomfim (PSDB) disse que as autoridades precisam analisar o relatório. “Vamos encaminhar os estudos aos órgãos competentes para que eles tomem as devidas providências. Que seja feita uma revisão na lei para que eles não repassem as perdas de energias aos consumidores”.

Bonfim pediu que a empresa de energia possa proceder com a melhoria nos serviços da empresas, como criação de mais agências. “Sugerimos também, que eles façam as trocas de medidores com a devida autorização do consumidor”, ponderou.

O deputado estadual Roberto Duarte Jr disse que a CPI cumpriu com as suas obrigações. “Se o consumidor se sentir ferido, que busque o Procon. Não fiquem calados”, argumentou dizendo que, a Aneel vai prestar esclarecimentos dentro do Congresso Nacional.

Comentários