Dicas de prevenção

Para ajudar a reduzir os riscos de contaminação por coronavírus, o Ministério da Saúde, nos últimos meses, passou a recomendar o uso de máscaras à população em geral. No Acre, com pouco mais de 1.700 casos confirmados, o uso é obrigatório em espaços públicos e privados, principalmente onde há atendimento ao público. Como se trata de um hábito novo, que geralmente se via o uso apenas por profissionais de saúde, muita gente ainda tem dúvida sobre como usar corretamente. Afinal, é mesmo necessário?

No Acre, com pouco mais de 1.700 casos confirmados, o uso da máscara é obrigatório em espaços públicos e privados Fotos: Odair Leal/Secom

Lavar frequentemente as mãos e proteger a boca e o nariz ao tossir, falar e espirrar são medidas que ajudam a evitar a propagação da doença. A máscara funciona como barreira: evita que pessoas doentes espalhem o vírus pelo ar, bem como pessoas saudáveis de serem contaminadas ao proteger o rosto. Podem ser de tecido, costuradas em casa ou descartáveis, o mais importante é que as pessoas façam o uso correto, pois com o manuseio inadequado, ao invés de diminuir, pode causar um efeito reverso e aumentar os riscos de contaminação.

Abaixo estão listadas as principais orientações feitas pelo Ministério da Saúde:

Não use máscaras largas

Para que a proteção seja efetiva, o ideal é que a máscara cubra do queixo ao nariz, sem que fique frouxa ou se mova pelo rosto. Por isso, na hora da escolha, atentem ao tamanho e se o elástico ficar frouxo, fazendo com que a máscara caia frequentemente sobre l nariz, dê pequenos nós no elástico ou dê pontos com linha no tamanho ideal.

Para que a proteção seja efetiva, o ideal é que a máscara cubra do queixo ao nariz, sem que fique frouxa ou se mova pelo rosto Fotos: Odair Leal/Secom

Lave bem as mãos antes e depois de tirar a máscara

Antes de colocar ou tirar a máscara, é necessário lavar bem as mãos ou se estiver na rua, usar álcool em gel para higieniza-las. As mãos podem contaminar o tecido ou o material descartável que estiver usando. Então é necessário atentar-se a esse cuidado.

Não encoste na máscara, apenas nos elásticos

Devemos evitar ao máximo tocar na parte da máscara que cobre a boca e o nariz, seja para adaptá-las ao rosto ou simplesmente colocá-las. A parte em que devemos manusear é pelo elástico, evitando o contato com o tecido. Sem ter álcool em gel ou sabão para higienizar as mãos por perto, o contato direto torna-se um risco eminente.

Não retire a máscara deixando-a no queixo ou no pescoço

Ao fazer uma pausa para comer ou beber as pessoas tem o péssimo hábito de colocar as máscaras no queixo ou abaixa-las até o pescoço. Ao fazer isso, o tecido entra em contato com outra parte da pele, que pode estar contaminada, levar o vírus de volta para o nariz ou a boca quando recoloca-la. O ideal é retirá-la completamente através do elástico.

Evite deixar a máscara sobre qualquer superfície

É claro que depois do uso, ou quando estiver na rua, em algum momento vai precisar tirar a máscara. Contudo, ao retirar não se deve largá-las em qualquer lugar, caso pretenda usá-las novamente. O recomendado é que sejam guardadas em um saquinho plástico limpo. Caso seja algo rápido, como já foi dito anteriormente, evite tocar no tecido, segure-a pelos elásticos.

Ao retirar não se deve largá-las em qualquer lugar, caso pretenda usá-las novamente. O recomendado é que sejam guardadas em um saquinho plástico limpo Fotos: Marcos Vicentti/Secom

Em caso de máscara de tecido, lavar imediatamente após o uso

Lave as máscaras com água potável, água sanitária e sabão. O ideal é que permaneçam imersas com água sanitária por até 30 minutos, depois de lavar com água e sabão, ainda vem o período de secagem em um local seguro. Após esse procedimento, é recomendado o uso do ferro de passar, a fim de esterilizar o material.

Comentários